106 vivas para Dona Nacita

0
228

Dia 8 de novembro, por motivo muito especial, uma casa estará em festa na rua Prudente de Moraes. É lá que mora a professora Ignácia de Almeida Carvalho, que vai completar nesta data, 106 anos.
Com seus olhos claros e discreto sorriso, Dona Nacita, como é mais conhecida, conta com muita lucidez a infância, recordações dos pais, a paixão pelo magistério, o amor pelos sobrinhos e a vontade de ter feito mais viagens pelo mundo afora.

Linha do tempo – Pelas fotografias dá para se intuir a história da dedicada professora Ignácia de Carvalho Almeida.

 

Gazeta – Aonde a senhora nasceu?
Ignácia – Meu nome é Ignácia de Almeida Carvalho, nasci em 8 de novembro de 1906, em uma fazenda de meu avô, no distrito de Botafogo, aqui em Bebedouro. Eu sou conhecida pelos amigos e parentes como Nacita, mas meus sobrinhos me chamam de Tia Tô. Tenho três sobrinhos que sempre me visitam, a Maria Rita, Odilan e Laurico. Nunca falharam nas visitas. Sempre apareçem. Nunca me deixam sozinha.

Gazeta – O que seus pais faziam?
Ignácia – Meu pai era Marciano Silvino de Almeida e cuidava das fazendas. A minha mãe chamava Rita e era dona de casa.

Gazeta – Quantos irmãos tinha?
Ignácia – Eu tinha cinco irmãos, mas não me recordo o nome de todos.

Gazeta – Como foi sua infância?
Ignácia – Foi igual a de todas as crianças na minha época. Brincávamos de passar anel de roda, que eram as brincadeiras da gente.

Gazeta – O que a sua mãe lhe ensinou?
Ignácia – Tudo o que uma mãe dedicada pode querer ensinar para uma filha.

 

(…)
Leia mais na edição n° 9470, dos dias 2 a 5 de novembro de 2012.