A querida avó da Vila Santa Terezinha

0
467

Ela tem o nome do amanhecer, Dona Aurora é líder comunitária da Vila Santa Terezinha, nobre nos gestos e no sobrenome. Nada, nem o assassinato do marido, conseguem tirar o bom astral da coordenadora da Pastoral da Criança que é considerada vó de todos os moradores do bairro.

A líder e a santinha – Com sua fé, Dona Aurora viu o surgimento de um dos bairros mais antigos da Zona norte.

Gazeta de Bebedouro– Quando veio morar em Bebedouro?
Aurora – Eu vim para Bebedouro em 1959, tinha 20 e poucos anos. Minha mudança aconteceu porque casei e meu marido era daqui. Na verdade, casei com 18 anos, mas depois o serviço dele exigiu que se mudasse para Bebedouro. Meu marido chamava-se João Nobre (falecido).

GB – Onde vieram morar em Bebedouro?
Aurora – Aqui onde está a Vila Santa Terezinha. Sou a primeira moradora. Aqui era um sítio e viemos tomar conta dele. O sítio era do senhor Geraldo Blanco. Fui eu quem coloquei o nome de sítio Santa Terezinha (risos).

GB – Por quê?
Aurora – Eu sempre fui devota de Santa Terezinha. A minha patroa queria um dia construir uma capela para a santa. Infelizmente, ela morreu e eu fiquei com a missão. E graças a Deus construímos o que virou o Centro de Evangelização. Tem missa uma vez por mês.

GB – Qual a razão da devoção à santa?
Aurora – Eu sempre fui católica e tive fé em Santa Terezinha.

GB – Ela lhe fez algum milagre?
Aurora – Milagre sempre aconteceu. Tudo que eu tenho é milagre. Tudo que tenho em minha vida, meus filhos, meus netos são milagres de Deus. Graças a Deus todos estão bem e ninguém desviou pelo caminho. Todos na Santa Paz de Deus.

(…)

Leia mais na edição nº 9591, dos dias 31 de agosto, 1º e 2 de setembro de 2013.