Bebedouro ultrapassa 300 óbitos pela Covid desde o início da pandemia

Número de infecções volta a subir, gerando alerta. Na contramão, internações em UTI na cidade e transmissão do vírus na região estão em queda.

0
69

Mais quatro óbitos em decorrência da doença também foram adicionados ao boletim epidemiológicos nos últimos dias, totalizando 303 vítimas fatais da Covid até sexta-feira (23). São eles: mulher, 53, portadora de diabetes melittus e doença respiratória crônica; homem, 69, portador da Síndrome de Addison; paciente não identificado, com hipertensão arterial, 50, que faleceu em casa; e homem, 64, que estava internado no Hospital Nossa Senhora, em Barretos.

O gráfico semanal de mortes elaborado pela Gazeta mostra que a média móvel de óbitos nos últimos 14 dias é de 0,71, ou seja, a cada três dias, dois bebedourenses morrem em decorrência da Covid-19.

Analisando as últimas seis semanas, o número de óbitos vem caindo desde o início de junho, porém, em relação à última semana, houve aumento. Na semana de 3 a 10 de junho, foram registrados 15 mortes; de 11 a 18 de junho, 23 vítimas fatais em uma semana (+53,3%); de 19 a 29 de junho, 17 mortes (-26,1%); de 30 de junho a 7 de julho, seis falecimentos (-64,7%); de 8 a 16 de julho, apenas três (-50%); e nesta semana, de 17 a 23 de julho, foram 7 (+133%).

Infecções e internações

Bebedouro registrou 324 novos casos positivos de Covid-19 nos últimos três dias, de acordo com boletim divulgado na sexta (23). Com este acréscimo, o número de infectados pelo vírus desde o começo da pandemia sobe para 11.432. Destes, 170 seguem em monitoramento e isolamento domiciliar. Outros 29 aguardam resultados de testes.

O novo aumento de casos diários é motivo de alerta. Dados divulgados pela Gazeta na edição de quarta-feira (21) já mostravam crescimento de 97% em novas infecções na última semana (14 a 20 de julho), quando 272 registros foram inseridos no boletim, contra 138 na semana anterior (8 a 13 de julho).

Na contramão, a ocupação de leitos de UTI no Hospital Estadual está em queda. Na sexta (23), caiu para 80%, com 16 pacientes internados em estado grave e 14 na enfermaria. Na rede privada, são cinco (45,45%) na UTI e 10 com sintomas menos graves, em enfermaria.

Na rede municipal, tanto a UCE (Unidade de Cuidados Especiais) quanto a UPA não possuem pacientes em estado grave, porém, sete estão na ala de isolamento da enfermaria do Hospital Municipal. Outros nove bebedourenses estão internados em outras cidades, com casos graves pela contaminação do vírus.

Segundo dados da plataforma Info Tracker – SP Covid, o tempo médio de resolução da doença em pacientes internados na região de Barretos, ou seja, o tempo previsto de internação até que um paciente receba alta ou evolua para óbito, é de 17 dias.

Perfil de infecções

Em Bebedouro, de acordo com o Portal Covid, da Prefeitura Municipal, as mulheres continuam sendo maioria entre os infectados (53%). Do total de 11.432 bebedourenses que já tiveram Covid desde março de 2020, 21% tem entre 30 e 39 anos; outros 20% estão na faixa de 40 a 49 anos; jovens de 18 a 29 ocupam 19,7% do total; e 14,6% tem idade entre 50 e 59 anos.

Dividida em 88 bairros, incluindo zona rural, distritos e povoados, Bebedouro concentra 10,8% dos infectados na região central, também a mais populosa. No Jardim Centenário, são 4,7%; no Residencial Santaella, 4,1%; no Menino Deus e no Jardim Cláudia, 4%).

Taxa de transmissão

O índice de transmissibilidade da Covid-19 na DRS-5, de Barretos, continua em queda. Dados da plataforma Info Tracker, desenvolvida por pesquisadores da USP e da Unesp, mostram que no domingo (18), a taxa estava em 0,67. Na terça-feira (20), o índice baixou para 0,62; e na sexta-feira (23), retraiu ainda mais, para 0,53. Isso significa que 100 infectados transmitem o vírus para outros 53, ou de forma mais clara, dois contaminados infectam mais um.

A taxa de transmissão (Rt) serve como estimativa para entender como a doença se espalha entre a população. Assim, quando esse número é menor ou igual a 1, espera-se queda no número de casos. E, quando maior que 1, espera-se aumento no número de casos.

A projeção apontada pela plataforma para regional de Barretos nos próximos dias, caso os números de casos e óbitos sigam tendência, é de “provável controle da transmissão”. Projeta-se que o índice chegue a 0,47 até o início da próxima semana.

Publicado na edição 10.595, de sábado a terça-feira, 24 a 27 de julho de 2021.