Com atraso, Bebedouro vacina idosos de 68 anos

2ª dose foi aplicada em pessoas de 75 e 76 anos, porém, informações desencontradas da Prefeitura causaram transtornos nos dois dias de vacinação.

0
103
Protegida – Acompanhada do sobrinho André, dona Maria Rosa recebe a 2ª dose da vacina contra a Covid-19. Emocionada, ela comemora sua imunização. (Gazeta)
Reforço – A 2ª dose dos idosos de 75 e 76 anos foi aplicada em dois dias, no drive-thru do Sambódromo, mas algumas informações desencontradas geraram transtornos aos vacinados. (Gazeta)

Bebedouro iniciou a semana dando continuidade ao calendário de vacinação. Na segunda-feira (5), foram vacinados com a 2ª dose do imunizante, idosos de 75 e 76 anos, enquanto na terça (6), vacinaram-se com a 1ª dose, pessoas de 68 anos, contrariando a orientação do Governo de São Paulo, que determinava que este público fosse imunizado no feriado.
No fim da semana passada, a secretária de Saúde, Silvéria Larêdo, disse a Gazeta que a vacinação não seria adiantada “porque nossas doses ainda não chegaram, além disso, a partir de agora, com grupos mais volumosos, a apresentação do formulário será obrigatória para diminuir as filas e o tempo de espera”. Porém, a Gazeta apurou que as doses foram entregues pelo Estado para todas as DRSs (Diretorias Regionais de Saúde) na quinta-feira (1º).
Para Larêdo, como as doses só chegaram em Bebedouro na sexta (2), para elaborar o drive-thru no sábado (3) ficaria em cima da hora e para que fosse realizado na segunda-feira (5), coincidiria com o público de 75 e 76 anos, que receberam a 2ª dose: “O drive-thru estava previsto para terça (6) e optamos por manter o cronograma”, diz a secretária.
O prefeito Lucas Seren, em entrevista a Gazeta, justifica que Bebedouro ainda não tinha doses suficientes até o feriado de Sexta-feira Santa, o que poderia gerar transtorno para a população ir até o Sambódromo, sem que houvesse vacina para todos, “por isso, esperamos ter todas as doses, para não ter quebra de dias de imunização, o que facilita também a aplicação da 2ª dose”, diz Seren.
A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Thais Teixeira, informa que a Prefeitura de Bebedouro buscou as doses em Barretos, na manhã do feriado de Sexta-feira Santa (2), dia previsto para que a vacinação de 68 anos fosse iniciada, porém, Bebedouro vacinou apenas na terça (6), em sistema drive-thru, no Sambódromo Municipal, das 8h às 11h.
Cerca de 630 doses foram disponibilizadas para este público e, segundo Teixeira, a meta era vacinar de 70% a 80% do público no drive-thru, como tem sido registrado nas últimas semanas. “Esta faixa etária é uma das maiores já recebidas por nós, em um só dia”, destaca. A coordenadora da Vigilância acrescenta que poucos recebem o imunizante nas unidades de saúde, principalmente, aqueles que não têm veículo próprio. Estes podem receber a dose a partir de quarta-feira (7), em todas as ESFs (Estratégia de Saúde da Família).
O prefeito garantiu que, com a redução da idade dos vacinados, consequentemente, o número de pessoas por faixa etária é maior, por isso, a Prefeitura criará alternativas para atender a demanda crescente: “Estudamos a possibilidade de criar novo ponto de vacinação drive-thru, já que a tendência é que mais pessoas se vacinem por dia. Uma alternativa também será pensada para a imunização dos profissionais da Educação, nas próximas semanas”, afirma o prefeito, destacando: “Trabalhamos para que as vacinas cheguem em volumes maiores e o mais rápido possível, para que mais e mais bebedourenses possam estar protegidos contra a Covid-19”.

2ª dose
A Prefeitura havia informado que na segunda-feira (5), a Saúde aplicaria a 2ª dose da vacina para idosos de 74 a 76 anos, porém, uma inconsistência nas informações publicadas gerou transtornos entre os vacinados desta faixa etária.
A data de vacinação para idosos de 74 anos foi divulgada equivocadamente, já que este grupo recebeu a 1ª dose apenas em 22 de março, junto dos idosos de 72 e 73 anos, portanto, deve receber a 2ª dose do imunizante após 12 de abril. A coordenadora da Vigilância lamenta pelo erro, muitos foram até o Sambódromo na segunda-feira (5), uma semana antes do previsto, e foram orientados a voltar para suas casas.
Outro equívoco foi a divulgação de que os idosos de 75 e 76 anos seriam vacinados na segunda (5), sem orientar que cada um conferisse sua carteira de vacinação Covid (carteirinha verde e branca), sobre a data da 2ª dose, o que fez com que muitos que deveriam se vacinar na terça-feira (6), fossem até o drive-thru no dia anterior e tivessem que retornar no dia seguinte.
“O Estado preconiza que a 2ª dose seja aplicada de 21 a 28 dias após a 1ª, porém, por isso, cada um tem uma data específica a receber o imunizante. Porém, falhamos ao pedir aos que foram até o Sambódromo na segunda (5) que retornassem no dia seguinte, porque após 14 dias, o vacinado já poderia receber a 2ª dose, não precisaria voltar no outro dia”, lamenta a secretária.
Thais Teixeira destaca que parte dese mesmo público também deve se vacinar na próxima semana, porque as doses para esta faixa etária vieram fracionadas, em semanas diferentes. “38% deste público vacinou-se só depois, por isso, estes receberão a 2ª dose na semana que vem, em data ainda a ser divulgada”, diz a coordenadora.
“É importante destacar que vale sempre a data escrita a lápis na carteira de vacinação Covid. Tanto na segunda como na terça-feira, imunizamos pessoas de 75 e 76 anos com a 2ª dose, pois, como estas pessoas receberam vacina em dois dias, a aplicação da 2ª dose também foi planejada para ser em dois dias consecutivos”, ressalta Larêdo.

Vacinados
João Domingos Alves, o ‘João Mil Frutas’, feirante, além de estar contente pelo retorno da Feira Livre, na praça Valêncio de Barros, também comemora sua vacinação. Aos 68 anos, o feirante diz que não deixou de trabalhar um só dia, porque depende da venda das frutas para o sustento do lar, mas agora sente-se mais confiante em atender seus clientes: “Tenho que continuar me cuidando, não posso brincar, mas agora é uma segurança a mais”, diz, acrescentando: “eu trouxe preenchido meu formulário de vacinação, que peguei no ‘postinho’ lá do Jardim Santo Antônio, perto da minha casa”. Dirigindo seu caminhão carregado de laranjas, bananas e outras frutas, o senhor João recebeu a 1ª dose do imunizante.
Já Maria Rosa Gaspar de Oliveira, 75, recebeu a 2ª dose da vacina acompanhada do sobrinho e comemora: “Estou me sentindo tão feliz, porque tomei a 1ª dose e agora já tomei a 2ª, tão rapidinho, e tem gente que ainda vai ter que esperar tanto”, emociona-se. A idosa garante estar se prevenindo, quase sem sair de casa, usando máscara constantemente e álcool em gel, mas agora sente-se mais segura.
Seu sobrinho, André Canevarollo, a quem dona Maria Rosa tem como filho, agradece o desempenho e bom atendimento dos profissionais: “todos muito educados e atenciosos ao lidar com os idosos atendidos. Agradeço a Deus e as autoridades por ela estar conosco e protegida”.

Segurança Pública
A imunização dos profissionais da Segurança Pública, anunciada pelo Governo de São Paulo para segunda-feira (5), foi seguida a risca. A princípio, estava programado que os policiais militares receberiam o imunizante no 33º Batalhão da Polícia Militar, em Barretos, enquanto bombeiros, guardas municipais e policiais civis se vacinariam in loco, em seus locais de trabalho, porém, uma determinação do Estado definiu que todos os profissionais das forças de segurança recebessem a vacina nos batalhões militares de suas regionais.
No caso de Bebedouro e as demais 17 cidades da DRS-5 (Diretoria Regional de Saúde), todos foram até Barretos, onde vacinaram-se em sistema drive-thru no estacionamento do 33º BPM.

Publicado na edição 10.568 de 7 a 9 de abril de 2021.