Depois do feijão, agora é o preço do arroz que dispara

0
140

Foram 36,8 milhões de sacas, aumento de 1,3% sobre o ano anterior, com 36,4 milhões.

A chuva pesou no preço do prato típico do brasileiro. Depois da disparada no preço do feijão, agora é o arroz que está mais caro. De janeiro até agora, o preço do arroz aumentou quase três vezes mais que a inflação.

(…)

Leia mais na edição nº 10004, de 2, 3 e 4 de julho de 2016.