Estado registra nova queda no número de óbitos por Covid-19

Governo estadual anuncia criação de 10 mil bolsas de auxílio-desemprego no programa Emprego e Renda. As vagas, distribuídas em 365 municípios paulistas, já estão abertas e Bebedouro está na lista.

0
53

Entre domingo (9) e sábado (15), o Estado de São Paulo registrou queda de 1% no número de óbitos por coronavírus, em comparação com a semana anterior, de 2 a 8 de agosto.
Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a queda ocorreu mesmo com a modificação da diretriz do Ministério da Saúde para confirmação de casos e óbitos, que passou a incluir o método de análise clínica e diagnóstico por exames de imagem, independente da análise laboratorial. Esta alteração resultou no acréscimo de 221 mortes que aconteceram no decorrer da pandemia e foram inseridas no boletim da última semana.
“Sem esta inserção, teríamos o menor índice de número de óbitos no Estado, em relação às semanas anteriores, com níveis muito semelhantes à 24ª semana epidemiológica, mostrando controle da pandemia”, afirmou o secretário da pasta, Jean Gorinchteyn, mencionando que foram registrados 16 óbitos a menos. “Na semana passada, houve 1.764 mortes e, na semana anterior, 1.780 óbitos”.
No interior e na Baixada Santista, a queda foi de 5%, sendo que todos os municípios mantêm taxa de ocupação de leitos de UTI menor do que 80%. A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 57,4% no Estado e de 55,5% na grande São Paulo.
Mais de 502 mil pacientes se recuperaram da Covid-19. São Paulo tem hoje 702 mil casos de coronavírus, com 26.899 óbitos.
Emprego e renda – O governo estadual anunciou, na segunda-feira (17), a criação de 10 mil bolsas de auxílio-desemprego no programa Emprego e Renda. Os participantes receberão benefício mensal de R$ 330,00, com oportunidade de realizar cursos de qualificação.
As vagas, distribuídas em 365 municípios paulistas, já estão abertas. Para Bebedouro estão disponíveis 20 vagas e a inscrição deve ser realizadas no Departamento de Promoção e Assistencial Social, na avenida Oswaldo Perrone, 489, no Jardim Progresso.
O programa Emprego e Renda, realizado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, em parceria com os municípios, tem por objetivo reduzir os impactos da pandemia do novo coronavírus entre a população carente, proporcionando geração de renda e capacitação.
Os cursos oferecidos são nas áreas de zeladoria, limpeza, conservação e manutenção de órgãos públicos municipais. Além do auxílio, o cidadão beneficiado contará com seguro contra acidentes pessoais e realizará cursos de qualificação profissional ou alfabetização, oferecidos pelo Centro Paula Souza.
As ações serão realizadas nas regiões de Araçatuba, Barretos, Bauru, Campinas, Central, Franca, Itapeva, Marília, Presidente Prudente, Vale do Ribeira, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, Região Metropolitana de São Paulo, Sorocaba e Vale do Paraíba.
Para participar do programa, o candidato deve estar desempregado há pelo menos um ano, ser maior de 17 anos e residir no Estado de São Paulo por no mínimo dois anos.
O bolsista permanece no programa por até nove meses, com jornada de atividades de seis horas diárias, quatro dias por semana, prestando serviços de interesse local. No quinto dia, o inscrito deverá frequentar o curso de qualificação profissional ou alfabetização.
Fipe – Na coletiva de imprensa, na segunda-feira (17), o vice-governador Rodrigo Garcia apresentou estudo da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) que aponta que o Plano São Paulo de enfrentamento ao novo coronavírus e a retomada gradual da atividade econômica preservou 318 mil empregos, desde o início de junho.
“Um dos grandes objetivos do Plano São Paulo é que pudéssemos ter uma convivência inteligente com a pandemia do coronavírus, permitindo a preservação de empregos e a volta gradativa das atividades econômicas. O estudo da Fipe demonstra, em números, que este objetivo foi alcançado. O estudo comprova relação direta entre as mudanças de fase do Plano São Paulo com o aumento da atividade econômica e a preservação de vagas de trabalho”, declarou Garcia.
A pesquisa foi liderada pelo economista Eduardo Haddad, que também integra o Conselho Econômico que assessora o Governo de São Paulo durante a pandemia.
Segundo o levantamento, os 318 mil empregos preservados pelo Plano São Paulo estão, em sua maioria, entre os trabalhadores formais. A estratégia de reaberturas regionais e faseadas da atividade econômica, de acordo com a evolução da pandemia, garantiu mais empregos entre trabalhadores com menor escolaridade e menor renda, que são os mais vulneráveis em um cenário de retração.
Do total apontado pela pesquisa, 69,4% das vagas mantidas pelo Plano São Paulo são de trabalhadores com carteira assinada, enquanto 30,6% são informais. Dos 318 mil postos de trabalho, 54,8% são ocupados por homens, e 45,2% por mulheres.
O estudo também revelou que 45,8% das 318 mil vagas preservadas têm ensino fundamental incompleto ou completo, 35,4% completaram o ensino médio e outros 18,8% têm ensino superior completo. Em relação ao nível de renda dos empregos preservados, 75,9% dos postos são de trabalhadores com ganhos de até três salários mínimos.
Ainda de acordo com o levantamento, as regiões com grande adesão a medidas restritivas e distanciamento social conseguiram mais consistência ao avançar para etapas de reabertura gradual.
Dos 318 mil empregos mantidos com a retomada gradual da atividade econômica em São Paulo, aproximadamente 303 mil estão concentrados em atividades de serviço. Atualmente, 86% da população do estado vive em regiões que estão na fase amarela do Plano São Paulo, que permite retomada parcial do atendimento presencial em comércios de rua, escritórios e shoppings, além de bares, restaurantes, salões de beleza e academias.
Nesta fase intermediária, a pesquisa da Fipe aponta que o índice de atividade econômica sobe em 2,32 pontos percentuais em relação à etapa vermelha, que prevê restrição total a comércio e serviços considerados não essenciais. Já em regiões que estão na etapa laranja, em que o veto a bares, restaurantes, salões e academias ainda persiste, o aumento de atividade econômica é de 1,11 ponto percentual.
Quarentena – O governador e a primeira dama do Estado continuam em isolamento social, após testagem positiva para coronavírus. João e Bia Doria estão assintomáticos, seguindo os protocolos médicos e recebem acompanhamento do médico infectologista David Uip.

 

Publicado na edição nº 10511, de 19 a 21 de agosto de 2020.