Legislativo aprova crédito e Zona Norte ganhará escola infantil

Ao usar a tribuna, vereador Edgar Cheli pede que a população tenha consciência, pois a cidade estaria “à beira de colapso”.

0
145
Desinformação - O presidente do Legislativo, professor Jorge Cardoso, utiliza a tribuna para solicitar ponderação aos colegas ao tratar do assunto Covid-19, evitando o negacionismo. (Divulgação/Governo do Estado de SP)

Por unanimidade, os vereadores aprovaram, na 4ª sessão ordinária de 2021, realizada na segunda-feira (22), Projeto de Lei n.º 6/2021, de autoria do Poder Executivo, de abertura de crédito suplementar de R$ 1,6 milhão, a ser utilizado na construção de unidade de ensino infantil na Zona Norte, em área anexa ao Centro Social Urbano Tancredo de Almeida Neves, no Jardim Cláudia, com recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica). A nova escola acompanha o projeto de construção da Cemei “Patrícia Barrichello Lança”, inaugurada em agosto do ano passado.

Ao utilizar a tribuna, em apoio ao projeto, o vereador João Vitor Martins (Cidadania) agradeceu o prefeito Lucas Seren (DEM) por atender seu pedido, apresentado em janeiro. “A construção desta nova unidade, além de proporcionar maior conforto às crianças, possibilitará diversas atividades que o prédio atual não permite. Abrindo também a possibilidade de utilização deste espaço pela comunidade e pela própria municipalidade para desenvolver projetos especiais a jovens e adultos”, justificou Martins, solicitando ao Executivo que “retorne o salão para a comunidade, e realize reforma e melhorias na área esportiva do Centro Social”.
Em “sessão híbrida”, com participação remota de Martins e Eliana Merchan (DEM), por cumprirem isolamento social por suspeita de Covid-19, os vereadores também aprovaram seis requerimentos. Ivanete Xavier (PSDB) é autora de dois deles, n.º 15/2021 e 20/2021, em que solicita informações ao Saaeb Ambiental sobre seu funcionalismo e ao Sasemb sobre o estudo realizado por empresa terceirizada.
Autor de outros três requerimentos, José Baptista de Carvalho Neto, o Chanel, (Solidariedade), solicita informações sobre perfuração de poços pelo Saaeb Ambiental, cumprimento do piso remuneratório dos servidores públicos municipais e sobre recursos recebidos para o combate à pandemia no município.
Já o requerimento n.º 19/2021, de autoria de Leandro Lauriano (Solidariedade) requer informações sobre a revitalização da praça Santiago Bilória, na área central. Todos os requerimentos foram aprovados por 10 votos.

Apelo
Na tribuna, muito emocionado, o vereador Edgar Cheli (PSDB) deixou condolências às famílias de Fabiana Alves Barbosa e Gustavo Camero Corte, cujos falecimentos ocorreram na semana passada.
“Jovens, pais de famílias, com filhos pequenos e que tinham a vida toda pela frente. Como médico desta cidade, há praticamente 30 anos, digo a todos bebedourenses, vivemos uma situação caótica. Estamos à beira de um colapso. Realmente não há mais lugar para internarmos doentes em UTIs. Estamos todos sobrecarregados. Faltam médicos para cumprir as escalas, porque uma escala que era cumprida por um ou dois médicos, hoje, necessita de quatro a cinco, tamanho é o número de doentes. Não sei onde vamos chegar. É triste o comércio ficar fechado, ver pessoas não podendo trabalhar, mas, é mais triste ainda, perdermos vidas. Vermos a morte chegar e não termos nada a fazer a não ser cuidar do doente, sem tratamento específico”, alertou o médico, desejando melhoras ao prefeito Lucas Seren, que foi diagnosticado com Covid-19 e cumpre isolamento.

Faltando com a verdade
O vereador Chanel utilizou a tribuna para assegurar que, enquanto Bebedouro segue determinações do governo estadual, com o fechamento de serviços não essenciais na cidade, o Saaeb Ambiental está realizando o corte de água da população.
“Faz dois meses que está todo mundo sem auxílio e estes nobres colegas têm que avaliar de novo o caso de não cobrar a água, porque muita gente não está tendo dinheiro para pagar e está sendo cortada. Temos que tentar rever isto de novo”, disse Chanel, na segunda (22).
O presidente do Saeeb, Gilmar Feltrim, afirma que o vereador “está faltando com a verdade, nesta afirmação. De acordo com o decreto vigente n.º 266621, de 25 de janeiro, o corte de água está suspenso. A inadimplência está alta e não temos como cobrar os valores devidos pelo momento que estamos vivendo. Por que não buscar informações corretas na autarquia que está, e sempre esteve, de portas abertas para qualquer vereador?”, questiona Feltrim, completando: “Este decreto segue em vigor até domingo (28) e deve ser prorrogado pelo prefeito novamente, o que vem ocorrendo desde o início da pandemia, em março do ano passado. E caso o corte seja retomado, a autarquia tem que aguardar mais 30 dias para iniciá-lo”, completa o presidente, desmentindo informação do vereador na tribuna.

Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

Publicado na edição 10.558 de 27 de fevereiro a 2 de março de 2021.