O perigo da exposição nas mídias sociais

0
238

Acácia Lima

Que a internet facilitou enormemente o dia a dia de todas as pessoas do planeta ninguém questiona. Com alguns cliques é possível encontrar o telefone e endereço de qualquer empresa, comprar, enviar mensagens e documentos, assistir filmes, falar com parentes e amigos distantes, e uma infinidade de outras coisas.
Com o surgimento das mídias sociais especificamente, essa facilidade aumentou. Amigos e familiares estão disponíveis praticamente 24 horas por dia e sabemos diariamente como estão, onde e com quem. E basta escrever no mural, usar um hastag ou marcar alguém ou alguma empresa em uma publicação para ter atenção exclusiva. Tanta exposição capaz de aproximar pessoas requer, entretanto, um cuidado extra para evitar uma invasão ou ameaça.
Os aplicativos com geolocalização ou como o Foursquare, por exemplo, são capazes de informar seus passos à sua rede de amigos, fotos e opiniões sobre determinados lugares. Muitos usuários temem que este aplicativo sirva como radar para criminosos, facilitando sequestros ou roubos, e ficam receosos de usar a ferramenta.
Sites como geni.com – onde é possível construir sua árvore genealógica linkada ao Facebook – apresentam mais do que preferências, indicam estilo de vida, nome do pai, da mãe, RG, CPF, etc. Portanto, é preciso muito cuidado para proteger informações, bloquear espionagem, ler atentamente as condições de acesso antes de permitir que aplicativos X, Y ou Z acessem seus dados.
Outro site muito usado para “espionar” – inclusive candidatos a vagas de trabalho – é o spokeo.com. Lá é possível conhecer todas as redes e movimento dos usuários. Qualquer usuário.
Nas mídias sociais, assim como na vida real, o bom e incansável bom senso é fundamental. O Facebook só vai divulgar o que você publicar ou autorizar, ou seja, cautela com fotos, comentários, ataques políticos, difamações e brincadeiras, pois, como as atualizações são descontextualizadas, alguém pode ler uma mensagem fora de hora e entender de maneira errada. E, sim, somos nós os responsáveis.
Entretanto, nem tudo são ameaças. Um pouco de sábia e cuidadosa exposição é muito bem vista e pode gerar excelentes frutos, desde novas amizades até aquele trabalho tão sonhado numa boa empresa. Criatividade, bom gosto, bom português, empatia e traquejo social ficam explícitos também nas mídias sociais.
Portanto, usar as novas vitrines digitais de maneira correta e positiva pode ajudar a alavancar a sua imagem online. E esta, assim como sua imagem real, precisa ser construída atenciosamente.

(Colaboração da Acácia Lima, jornalista e diretora da YellowA, agência especializada em mídias sociais.).