Outro governo, outra festa e outro jeito de realizar

0
68

Nova Festa da Laranja servirá de parâmetro para outros eventos em nossa cidade.

Está divulgada a agenda de shows da Feccib 2013 com apresentações de duplas sertanejas do momento e grupos de samba. A expectativa é repetir o sucesso do ano passado, porém com um grande diferencial, não será empregado um tostão sequer de dinheiro público.
É uma ótima notícia para a população de Bebedouro que estava incomodada com a utilização de dinheiro público na promoção de eventos de entretenimento. Como na preparação da Copa do Mundo no Brasil, onde todos os orçamentos estão estourados.
Pior, a promessa vendida durante a campanha brasileira para sediar o mundial, de não utilizar verba pública para construção dos estádios foi quebrada rapidamente. Além disto, os investimentos para melhoramento da infraestrutura pública até agora nem saíram do papel. Isto tudo com todas as carências que o país vive nas áreas de Educação e Saúde.
Em Bebedouro, a atual gestão corre de lá pra cá visitando gabinetes oficiais atrás de recursos para recapeamento da precária estrutura viária e de manutenção do Hospital Municipal. Não teve cabimento na administração anterior e nem teria agora, usar recursos para empregar em festas.
A lição que será aplicada em nosso município é a mesma fórmula usada com sucesso em Barretos, na Festa do Peão de Boiadeiro. Os promotores do evento arcam com todos os custos dos shows, cabendo apenas à prefeitura daquele município, a cessão do espaço público.
É dever constitucional dos governos fornecer diversão para a população. Mas não arcar com cachês astronômicos de astros e estrelas da vez. Os gastos com muitos cifrões devem ser direcionados à manutenção da rede municipal de ensino e de saúde.
Pode-se parabenizar o organizador do evento, que entendeu a nova realidade e mesmo assim, manteve a agenda de shows para a Feccib. O mais intrigante é que neste ano, a festa será realizada por menor custo do que em 2012. Com inflação e outros consequentes aumentos, seria interessante descobrir como isto aconteceu. Qual foi a mágica que fez crescer os custos do ano passado que contou, inclusive, com ajuda financeira da prefeitura?

 

Publicado na edição nº 9554 dos dias 4 e 5 de junho de 2013.

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEdição n° 9553
Próximo artigoFilantropia