Pesquisadores utilizam a Gazeta como fonte de pesquisa da história

O ex-prefeito Davi Peres Aguiar e o historiador José Pedro Toniosso falam da importância do acervo jornalístico da Gazeta para seus projetos.

0
63
Encontro – Pesquisadores dividem espaço na sede da Gazeta, em 13 de julho, cada um em sua área de interesse, ambos usando a Gazeta como fonte da história da cidade.

Com 98 anos recém-completados, a Gazeta segue como importante fonte de pesquisa sobre a história de Bebedouro. Entre páginas e páginas, cadernos e cadernos, o ex-prefeito e professor de História Davi Peres Aguiar (2001-2004) e o historiador e colunista José Pedro Toniosso, responsável pelo projeto “Bebedouro, História e Memória”, veiculado semanalmente na Gazeta de Bebedouro, vêm utilizando o acervo da Gazeta para embasamento de seus projetos.

À reportagem, Davi Aguiar conta que pretende lançar um ensaio biográfico sobre o período de sua administração, que ele indica ser conhecida como “Democrática e Popular”. “Iniciei o processo de pesquisa há dois anos, e comecei pelas atas da Câmara Municipal. Já comecei a escrever e agora estou fazendo uma pesquisa na mídia. Quero aproveitar a ocasião e agradecer à Sarah [Cardoso, diretora da Gazeta] e ao Rodolfo [depto. Administrativo da Gazeta], pela atenção e abertura”, diz o ex-prefeito.

Já Toniosso relembra que utiliza o acervo há muitos anos. O historiador explica que os arquivos têm sido imprescindíveis para a publicação de sua coluna. “Considero o acervo da Gazeta um verdadeiro patrimônio histórico de Bebedouro, tendo em vista que preserva considerável volume de informações e registros feitos desde a origem deste jornal, em 1924. Além disso, mantém edições de outros jornais, que são anteriores à própria Gazeta. Desta forma, considero a Gazeta como uma fonte histórica indispensável quando falamos sobre nosso município”, destaca.

Publicado na edição 10.686 – quarta, quinta e sexta-feira, 27, 28 e 29 de julho de 2022.