Prefeitura e Unifafibe se unem para conquistar curso de Medicina

0
370

Protocolo de intenções foi assinado na tarde de quarta-feira (29). 

A Prefeitura e o Centro Universitário Unifafibe assinaram na tarde de quarta-feira (29), protocolo de intenções de parceria para conquistar a Faculdade de Medicina de Bebedouro. A cerimônia contou com a presença de professores da instiuição e autoridades de Bebedouro.
“Hoje é uma tarde histórica”, discursou o prefeito Fernando Galvão (DEM), revelando que a parceria iniciou-se em 2013, quando o MEC (Ministério da Educação), abriu edital para que as cidades interessadas se inscrevessem.
“A reitora e eu conversamos muitas vezes, como o município poderia ajudar nessa conquista. Dentro do edital exigia-se estrutura hospitalar. Naquele momento, ainda não tínhamos conquistado o Hospital Regional. Agora, o Unifafibe tem estrutura e a Prefeitura também, com o novo Hospital Regional, com atenção primária modificada e com a vinda do Samu”.
A reitora do Centro Universitário, Iná Soares de Oliveira, recordou-se da trajetória do Centro e falou da “grande” responsabilidade em oferecer um curso de Medicina.
“Estamos no caminho. É um sonho nosso e com a parceria com a Prefeitura, esperamos realizá-lo. Depois disso, vamos buscar a (transformação em) universidade”, disse dona Iná.
Sobre investimentos, a reitora conta que o Unifafibe vem investindo em infraestrutura desde 1998. “Aos poucos estamos chegando lá”.
Dirigindo-se a Galvão, falou da dificuldade no Brasil em contratar-se médicos. “Bebedouro também tem muitas dificuldades. Com a faculdade de medicina, podemos mudar este quadro. Desde o início busquei parcerias privadas. É justamente estas iniciativas que fazem a cidade se desenvolver. Tenho certeza, que é mais uma parceria de inciativa público privada de sucesso”.
Ao final da cerimônia, Sônia Junqueira, presidente do Conselho Municipal da Saúde e a Pró-Reitora de Relações Institucionais do Unifafibe, Maria de Lurdes Contro Souza Pinto, assinaram como testemunhas.

Publicado na edição nº 10003, de 30 de junho e 1º de julho de 2016.