Qual a velocidade do seu envelhecimento?

Luiz Antonio da Assunção

0
4

Envelhecimento acelerado e câncer: marcadores no sangue mostram envelhecimento acelerado.

Um novo estudo sugere uma ligação entre o envelhecimento acelerado e o aumento do risco de câncer em adultos mais jovens.

Os pesquisadores analisaram amostras de sangue de um grupo de pessoas do Reino Unido e descobriram que aqueles com marcadores de envelhecimento mais rápido tinham maior probabilidade de desenvolver certos tipos de câncer, incluindo, câncer de pulmão, estômago e útero.

Este estudo revelou uma ligação preocupante entre o envelhecimento biológico acelerado e o aumento do risco de câncer em adultos jovens. A pesquisa conduzida por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington em St. Louis levanta novas preocupações sobre o crescente número de casos de câncer nesta faixa etária e abre caminho para novas estratégias de prevenção e detecção precoces.

A análise, que envolveu mais de 148 mil indivíduos com idades entre 37 e 54 anos, identificou nove biomarcadores sanguíneos que refletem o ritmo do envelhecimento biológico (com um simples exame de sangue).

Os nove biomarcadores foram: albumina, creatinina, glicose, proteína C reativa, porcentagem de linfócitos, volume celular médio (VCM), largura de distribuição de eritrócitos (RDW), contagem de glóbulos brancos = hemograma = fosfatase alcalina.

Indivíduos com envelhecimento acelerado (com exames alterados) apresentaram risco significativamente maior de desenvolver certos tipos de câncer, em comparação com aqueles com envelhecimento normal (exames dentro da normalidade).

Embora os mecanismos exatos por trás dessa ligação ainda estejam sendo pesquisados, os estudiosos sugerem que o envelhecimento acelerado pode aumentar a suscetibilidade das células a danos e mutações, levando ao desenvolvimento de câncer. Fatores como estilo de vida, genética e exposição ambiental podem contribuir no ritmo de envelhecimento biológico.

Os autores do estudo acreditam que esta poderia ser uma forma de identificar adultos mais jovens com maior risco de câncer e potencialmente intervir com mudanças no estilo de vida ou novos medicamentos (Nutracêuticos são compostos bioativos extraídos dos alimentos).

A maioria dos casos de câncer não se dá por genética, exclusivamente, mas sim por hábitos que se adquire ao longo da vida.

A busca por soluções para esse problema de saúde pública crescente exige um esforço conjunto de pesquisadores, profissionais de saúde e autoridades públicas. Ao investir em pesquisas sobre os mecanismos do envelhecimento acelerado e no desenvolvimento de novas estratégias de prevenção e detecção precoce do câncer, podemos trabalhar para um futuro com menos casos de câncer e melhor qualidade de vida para a população adulta jovem.

Acredito muito no combate às disfunções do organismo, contribuindo  para o envelhecimento natural e saudável.

Cuide do seu bem maior, sua saúde.

Saúde, saúde, saúde!

(Colaboração de Luiz Assunção, farmacêutico clínico).

Publicado na edição 10.837, quarta, quinta e sexta-feira, 17, 18 e 19 de abril de 2024