Recordações que vão e que vêm

0
72
(Arquivo pessoal)

Como disse no Sobrevoo, da semana passada, recebi do Rubinho, pouco antes de seu falecimento, algumas relíquias em fotos de seu pai, tio Quincas, o ex-prefeito Joaquim Alves Guimarães.
Como bem lembrou e postou nas redes, o historiador e professor José Pedro Toniosso, registros históricos em plena 2ª Guerra Mundial. Esta foto também é de 1944, na Estação Ferroviária, onde pequena multidão aguardava a aproximação do trem. Como também poetizou Milton Nascimento:

“Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega prá ficar
Tem gente que vai
Prá nunca mais…

Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai, quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim chegar e partir…

São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem
Da partida…

A hora do encontro
É também, despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida…”

 

(Divulgação)

(Divulgação)

(Divulgação)

Bem aqui
Em tempos de reforço da aprendizagem em meio à pandemia, estas imagens inspiram pela beleza, pelo encantamento e pela dedicação da psicopedagoga Eliana Santos Pereira, com os pequenos João Pedro e Luiza da Silva Mello, que frequentam a creche Irmã Crucifixa e Plínio Furtado, ajudando-os a superar obstáculos, numa parceria plena de êxito, entre a escola, a família e a psicopedagogia.

 

Frase da semana:

“Temos que entender mais o que é racismo estrutural. O dia que entendi até chorei, porque sempre achei que não era racista até entender o racismo estrutural”.

Luiza Trajano, dona da Magalu, em entrevista ao Roda Viva.

 

Lições
A empresária Luiza Trajano foi a entrevistada do programa da TV Cultura Roda Viva e deu várias lições de cidadania. Ao expressar seu pensamento, algumas frases dão a dimensão altruísta do pensamento de uma das mulheres mais ricas do Brasil, segundo a Forbes. “Eu acredito plenamente na democracia, não aceito nenhum tipo de agressividade, e estou sempre aberta a ouvir todos os lados, inclusive por isso vi muitas críticas ao programa de trainee exclusivo para negros”, continuou a empresária. Sobre o enfrentamento à pandemia disse: “Sou totalmente contra aquilo que neste momento, não seja para unir. Senti que faltou união, tivemos disputa entre presidente e governador, prefeito… Em um momento como esse, senti como pessoa, pela falta de unidade de pensamento. CPF você não recupera”, lamentando pelas mortes, citando que a união poderia ter minimizado os impactos da Covid-19.

Lições 2
Avaliando o governo Bolsonaro, Trajano espera o equilíbrio entre direita e esquerda no poder. “Teve coisa que acertou e muita coisa que errou. O que falta para o Brasil é um plano para 10 anos, 12 anos, pautado na educação”, defende, tornando a cobrar união e planejamento para que o país aproveite seu lado bom para crescer e distribuir renda. “Não tem outra forma de sair da crise que não gerando emprego e dando dignidade. Sair daquele processo de escravidão, de depender da ajuda. Vamos incentivar o turismo, baratear o turismo brasileiro, investir em infraestrutura, com geração de emprego”, enfatiza Trajano. “Fazer muito com pouco é a grande equação. Tem que ter juízo com os gastos”, aconselha.

Lições 3
“Estou sempre me renovando, sou inacabável. Por isso não escrevo um livro. O Brasil é um país incrível, não tivemos guerras, temos coisas ótimas. Temos um débito com o Brasil, e trabalho para isso”, diz a empresária, que diz trabalhar incessantemente para se manter atualizada e sempre em movimento, aprendendo. “Estou caminhando cada dia para fazer coisas diferentes. Se eu parar, daqui a pouco não estou em lugar nenhum”, garante. Da discussão nasce a luz, diz o ditado, e de uma boa discussão como essa, a verdade passa a ter mais chances. Vamos dizer não à polêmica, não às brigas por causas individualistas.

Propaganda enganosa…
…ou vale tudo e o candidato a prefeito pelo PSDB, Fernando Piffer, em sua propaganda gratuita de rádio, está pregando ser o responsável pelas tratativas com o governo de SP, para término das obras do Hospital Estadual. É isso mesmo que você leu… Incoerências à parte, é exatamente a mesma pessoa, que numa fala anterior, tentou diminuir a própria existência do mesmo Hospital, chamando-o de “Hospital de Campanha”. Como não pegou bem, Piffer resolveu inverter a lógica e se tornar o pai da criança bonita… afinal os tempos são de eleições. Quem liga pra verdade…

Pela Cultura
O prefeito Galvão e o coordenador de Cultura Glauco Corrêa assinaram o decreto que destina recursos da Lei Aldir Blanc, na quinta (15). A lei que recebeu o nome do músico e compositor morto por Covid-19, destina verba a trabalhadores da Cultura que tiveram atividades suspensas na pandemia; para manutenção de espaços artísticos; e projetos culturais. Será publicado edital de chamamento público, para convocação destes profissionais. Em entrevista a Gazeta, em setembro, Glauco Corrêa adiantava que a verba a ser disponibilizada é proporcional ao número de habitantes e que, pelos seus cálculos, a cidade receberia em torno de R$ 500 mil. O valor ainda não fora confirmado até o fechamento desta coluna.

Prorrogado até dia 19
Foi prorrogado para segunda-feira (19), o prazo para estudantes da rede estadual realizarem a rematrícula para o ano letivo de 2021. A solicitação pode ser feita pelo aplicativo Minha Escola SP, ou pela plataforma Secretaria Escolar Digital (SED) (https://sed.educacao.sp.gov.br/saiba-como-acessar). Ou então, o responsável ou aluno maior de 18 anos pode comparecer na escola, ou no Poupatempo e efetuá-la presencialmente.
O Governo do Estado garante que todos que desejarem têm vaga garantida na rede estadual, porém é obrigatória a manifestação de intenção através da rematrícula, garantindo também que os alunos continuem os estudos na mesma unidade escolar, caso esta escola tenha a série ou ano a ser cursado.

 

Publicado na edição nº 10526, de 17 a 20 de outubro de 2020.