Região de Barretos regride da fase amarela para laranja

Segundo o governo estadual, o rebaixamento ocorreu devido ao aumento na média móvel de novas internações em 14%, e aos óbitos que cresceram 44%.

0
56
(Divulgação/Governo de SP)

Bebedouro regride da fase amarela para a laranja do Plano São Plano, juntamente com as demais 17 cidades, que compõem o DRS (Departamento Regional de Saúde) de Barretos, na atualização de sexta-feira (9). Com isso, restaurantes, academias e salões de beleza não podem mais receber clientes nos locais, além disso, shopping e comércio precisam reduzir para 20%, a capacidade do público. A medida começa a ter validade, neste sábado (10).
Segundo o governo estadual, o rebaixamento ocorreu devido à média móvel de novas internações ter aumentado 14%, com 80,5 pacientes internados para cada 100 mil habitantes. Além disso, os óbitos registraram crescimento de 44%, com 7,8 mortes para cada 100 mil moradores.
“Intensificaremos o programa de rastreamento de contatos na região de Barretos, mobilizando gestores municipais e vigilâncias para que possamos reduzir estas taxas de internação e também o número de óbitos”, afirma o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, completando: “A taxa de ocupação em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes em estado grave com o novo coronavírus, na região de Barretos está em 60,5%, dentro do limite do Plano São Paulo”.
Já a Grande São Paulo e as regiões da Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté avançam para a fase verde do Plano. As regiões de Araçatuba, Araraquara, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto prosseguem na etapa amarela.
Após 130 dias de vigência, o Plano São Paulo também passa por nova calibragem de indicadores, áreas de monitoramento e normas de abertura do comércio para flexibilização da quarentena.
Agora, a evolução da pandemia será considerada na comparação entre as médias móveis de novos casos e mortes dos últimos 28 dias e o período epidemiológico equivalente, imediatamente anterior. Antes, as médias eram comparadas em espaços de sete dias.
Amarela e Verde – Outra mudança, anunciada pelo Estado, na sexta (9), é a ampliação do horário de funcionamento do atendimento presencial de oito para dez horas diárias na fase amarela. A capacidade máxima de público, entretanto, continua mantida em 40% – exceto academias, com limite de 30%. Nas regiões que avançaram para a fase verde, o atendimento local pode ser feito por até 12 horas diárias, com máximo de 60% da capacidade para todos os setores liberados.
Atividades que gerem aglomeração, como festas, baladas, presença de torcedores em eventos esportivos e grandes shows com público em pé continuam proibidas em todos os 645 municípios de São Paulo. A liberação só deve acontecer em eventual avanço para a fase azul ou após a disponibilização de uma vacina contra o coronavírus.
Pela nova regra do Estado, o próximo mapa do Plano São Paulo deve ser divulgado em 16 de novembro. Em caso de piora das regiões, o rebaixamento pode ser anunciado antes dessa data.

 

Publicado na edição nº 10525, de 10 a 16 de outubro de 2020.