Semana da Citricultura
movimenta Cordeirópolis

0
329

A 34ª Semana da Citricultura que aconteceu entre os dias 28 de maio e 1° de junho, no Centro de Citricultura Sylvio Moreira, movimentou a cidade de Cordeirópolis. A organização do evento estima que cerca de oito mil pessoas compareceram. Durante a abertura, o evento contou com a participação da secretária de Agricultura e Abastecimento, Mônika Bergamashi; do coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Orlando Melo de Castro; do diretor do IAC, Hamilton Humberto Ramos; e do diretor do Centro de Citricultura IAC, Marcos Antonio Machado. Foram ministradas 41 palestras sobre as inovações na nutrição, manejo dos pomares, controle fitossanitário e economia.

Luis Fernando Palillo, UFSCAR; Hildo Meirelles de Souza, UFSCAR; Christian Lohbauer, CitrusBR; Valquíria da Silva (IEA); Marcos do Santos, Câmara da Citricultura; Luciano Pitelli, FamAtac; Larissa Pagliuca e Margareth Boteon (Cepea); Orlando Sampaio Passos, Embrapa.

Problemas do setor
Na quinta-feira (31), o professor Luiz Fernando de Oriani e Paulilo, da UFSCar, de São Carlos, falou sobre “Desafios do complexo citrícola brasileiro: velha dinâmica e nova coordenação”. Em seguida, Margareth Boteon e Myra Montiero Vianna, da Cepea/Esalq da Usp, abordaram as ‘Perspectivas da citricultura brasileira, na safra 2012/2013. O presidente da CitrusBR, Christian Lohbauer, falou sobre o panorama internacional do mercado de suco de laranja . “O cenário é preocupante e requer a união de todos os elos da cadeia para que juntos, possamos encontrar uma solução”, ressaltando os números divulgados pela própria indústria, na última semana. “Hoje, a principal discussão é encontrar saídas para essas milhares de caixas excedentes”, ressaltou Lohbauer, lembrando que em breve uma nova reunião envolvendo representantes das indústrias e dos produtores deve acontecer no Ministério da Agricultura para voltar a discutir o tema. “Cada parte tem uma lição de casa pra fazer. Faço um apelo aos produtores que procurem suas lideranças e conversem para que tenhamos em mãos uma proposta do setor para levarmos ao governo”, ponderou. O Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) destacou o trabalho bem-sucedido que vem realizando na manutenção da fitossanidade nos pomares de citros paulistas. O Fundo também promoveu treinamentos sobre o monitoramento do pislídeo Diaphorina citri, inseto transmissor do greening, a pior doença dos citros.

Publicado na edição n°9408 dos dias 2, 3 e 4 de junho de 2012.