A partir de quinta (20), Bebedouro decreta lockdown para conter pandemia

De sexta-feira (14) a segunda (17), Bebedouro registrou 11 mortes causadas por complicações da Covid-19, totalizando 180 óbitos em decorrência da doença.

0
62
Fora das regras – Na Feira Livre, a Ronda Covid advertiu grupo que estava aglomerado, sem máscaras, cantando e comendo no local, descumprindo decreto. Com o lockdown instalado, a feira também foi suspensa.

Para conter o avanço do novo coronavírus, Bebedouro entra em lockwdow a partir desta quinta-feira (20) até 30 de maio. No total, serão 11 dias de medidas restritivas, estabelecidas através do decreto n.º 14.732 e publicado na terça-feira (18).

“Estamos vivendo o pior momento da pandemia, com fila de espera para leitos de UTI e até mesmo de enfermaria e com todos os hospitais da cidade lotados. Nós, do poder público, estamos fazendo o possível e o impossível para superar este momento. Investindo recursos e contratando médicos, mas isto não basta. Em nossa região, está circulando um vírus muito agressivo, aumentando os casos de internações, por isso, precisamos fazer com que ele pare de circular. Estamos tomando medida dura, mas necessária e só vamos vencer este vírus, se cada um fizer a sua parte”, afirma o prefeito Lucas Seren, que anunciou o período de lockwdow em “live”, no início da noite de segunda-feira (17), acompanhado da vice Sebastiana Tavares, do gestor do Hospital Regional de Bebedouro, Everton Zem, da secretaria Municipal de Saúde, Silvéria Larêdo, do presidente da Unimed, Caio Simões, e do administrador hospitalar dos Hospitais Unimed Samaritano e Santa Casa, Omar Dietrich.

“Medida dura, difícil, porém necessária. Dialogamos com diversos setores, inclusive Ministério Público, comércio e lideranças do Hospital Regional de Bebedouro, saúde municipal e Unimed, e não temos outras saídas. Os números vêm crescendo, não apenas em Bebedouro, mas na região. Ampliamos o atendimento do gripário, mas faltam profissionais para ampliar o serviço. Temos diversos profissionais da área da saúde, inclusive médicos, afastados com Covid. É difícil contratar médicos para ampliar o serviço”, ressaltou Seren em seu pronunciamento online.

Para o médico e presidente da Unimed, Caio Simões, “esta medida se faz necessária. Tanto a medicina suplementar, como a Unimed, ou a saúde pública, tem tomado medidas para conseguir mais leitos de UTI, de enfermaria e medicamentos necessários para tratamento e sedação dos pacientes, mas precisamos de todos: nós como administradores e vocês como população. Estamos lutando por vocês”.

O gestor do Hospital Regional de Bebedouro, Everton Zem, afirma “que o prefeito tomou uma decisão difícil, porém, sabemos da sua importância. Os casos estão aumentando e, infelizmente, medidas como estas precisam ser tomadas”.

Atualização

De sexta-feira (14) a segunda (17), Bebedouro registrou 11 mortes causadas por complicações da Covid-19, totalizando 180 óbitos em decorrência da doença. Os mais recentes são: cinco mulheres, com 55, 58, 61, 65 e 54 anos, que faleceram no Hospital Estadual, Unimed, Municipal e Hospital Nossa Senhora, em Barretos; e de seis homens, 53, 71, 77, 67 e dois com 52 anos, internados na UPA, no Hospital Municipal, Estadual e Hospital Nossa Senhora, em Barretos.

O número de pacientes positivados subiu para 6.432, de acordo com boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica, na tarde de terça-feira (18), sendo 706 de outros municípios. Em quatro dias são 489 novos casos confirmados apenas em Bebedouro.

Há ainda 152 pacientes positivados, em monitoramento, isolados em suas residências. Outras 65 pessoas aguardam resultado de exames e não constam no total de infectados.

Na terça-feira (18), a ocupação de leitos em Bebedouro, considerando UTIs públicas e privadas, estava em 100%. No Hospital Estadual, são 20 pacientes em estado grave. Na Unimed, os 11 leitos disponíveis estavam ocupados. Há ainda 23 bebedourenses em UTIs de Barretos e de outros municípios. As internações em enfermaria também seguem lotadas, sendo que 20 estão no Hospital Estadual, 21 no Municipal, 14 na Upa, e outros 20 na Unimed.

Com o aumento dos casos de internações e óbitos, Bebedouro entre em lockdown a partir desta quinta-feira (20). A medida segue em vigor até 30 de maio, com toque de recolher permanente, salvo para situações extremamente necessárias.

De sexta (14) a segunda-feira (17), Bebedouro registrou 11 mortes causadas por complicações da Covid-19, totalizando 180 óbitos em decorrência da doença.
Baseado em dados fornecidos pela Vigilância Epidemiológica, a Gazeta de Bebedouro preparou a média móvel de mortes, a cada sete dias, de 6 de abril a 18 de maio. Na semana de 6 a 13 de abril, foram contabilizadas 13 mortes, com média móvel de 1,85. De 14 a 20 de abril, são oito óbitos (média de 1,14); de 21 a 27 de abril, com 17 mortes, a média foi de 2,42; Uma semana depois, de 28 de abril a 4 de maio, caiu para 1,42, com 10 mortes. De 5 a 11 de maio, com sete óbitos, a média ficou em 1. Entretanto, na semana passada, de 12 a 18 de maio, com 19 óbitos, Bebedouro registrou a média móvel mais alta até o momento, 2,71 mortes por dia.

O número de pacientes positivados também subiu passando para 6.432, de acordo com boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica, na tarde de terça-feira (18). Em quatro dias são 489 novos casos confirmados apenas em Bebedouro.

Há ainda 152 pacientes positivados, em monitoramento, isolados em suas residências. Outras 65 pessoas aguardam resultado de exames e não constam no total de infectados. Na terça-feira (18), a ocupação de leitos em Bebedouro, tanto nas UTIs públicas como privadas, e enfermarias seguiam em 100%.

O que é e não é permitido

Como forma de conter as aglomerações, o toque de recolher é permanente, salvo para situações extremamente necessárias. Permanece proibido o trânsito de pessoas, em qualquer horário, nas vias, praças, parques e logradouros públicos, inclusive para a prática de atividades esportivas (orientadas ou não) e reuniões de qualquer natureza. No entanto, profissionais e pessoal em exercício das atividades de saúde e daquelas tidas por essenciais, bem como as alocadas em atividades industriais e de produção que trabalhem no período noturno, não estão sujeitos às restrições de circulação.

Postos de combustíveis podem funcionar, devendo as lojas de conveniência permanecerem fechadas. Escritórios em geral, de profissionais autônomos e liberais, estão autorizados a funcionar, com portas fechadas, apenas para atendimento interno, sem qualquer tipo de atendimento ao público, salvo casos de extrema urgência.

Distribuidores e revendedores de água e de gás funcionam exclusivamente em sistema delivery. Farmácias abrem normalmente.

Hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, laboratórios clínicos, clinicas veterinárias e estabelecimentos de saúde animal podem atender apenas casos de urgência/emergência, estando proibido o atendimento em petshops (banho/tosa).

A coleta de lixo e o Cemitério Municipal funcionam normalmente, sendo que o velório ficará restrito para no máximo 10 pessoas, com prazo máximo de três horas.

Aos hotéis não será permitido o recebimento de novos hóspedes durante esse período, salvo de profissionais de saúde ligados diretamente ao enfrentamento do coronavírus e de caminhoneiros ou transportadores de insumos essenciais, devidamente comprovados.

Agências bancárias e lotéricas ficarão fechadas para atendimentos presenciais, estando autorizado apenas o trabalho interno e o funcionamento dos terminais de autoatendimento e caixas eletrônicos.

Meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens podem funcionar, assim como as bancas de jornal. Oficinas mecânicas, borracharias e auto elétricas podem funcionar internamente com os portões fechados para atendimentos urgentes.

Outra medida que entra em vigor com o lockdown é a proibição da comercialização (compra e venda) de bebida alcóolica no município. O comércio em geral, aquele não essencial deverá permanecer fechado, podendo operar por delivery. Lojas de construção civil, materiais elétricos e hidráulicos também podem operar no mesmo sistema, assim como bares, restaurantes, pizzarias, sorveterias e similares.

Os ambulantes não podem ocupar os espaços públicos autorizados, mas podem atender seus clientes também por delivery, sem a venda de bebida alcóolica. Galerias, mercados municipais e shopping ficam fechados, sendo permitida a entrega de produtos na residência dos clientes. Salões de beleza, manicure/pedicure, barbearias, clinicas de estética, pilates e análogas devem permanecer fechados.

Para evitar aglomeração, supermercados e similares seguem com atendimento presencial, mas somente até domingo (23). A partir de segunda-feira (24), deverão permanecer fechados, apenas com serviços de entrega em domicílio e drive thru até às 19h.

Academias, centros esportivos e clubes recreativos ficam fechados para quaisquer atendimentos e atividades presenciais. Estão proibidas missas, cultos e cerimônias religiosas presenciais, inclusive para atendimentos individualizados. Aulas e atividades presenciais nas escolas estaduais, municipais, particulares e filantrópicas, inclusive de nível superior, cursos técnicos e profissionalizantes, estão suspensas.

Realizada aos domingos, a feira livre também está suspensa, bem como o transporte coletivo público. O transporte de passageiros por meio de táxi (aplicativo) ou moto-táxi será permitido apenas para os profissionais da saúde ou trabalhadores/colaboradores de atividades em funcionamento interno.

Publicado na edição 10.579, de 19 a 21 de maio de 2021.