‘Além do Tempo’: Há seis anos estreava uma das melhores novelas dos últimos tempos

0
40
Protagonistas – Alinne Moraes e Rafael Cardoso deram vida a Livia e Felipe nas duas fases da novela, em 2015. (Reprodução/Internet)

Foi em 13 de julho de 2015 que a Rede Globo levou ao ar o primeiro capítulo de ‘Além do Tempo’, novela de Elisabeth Jhin com direção geral de Pedro Vasconcellos e núcleo de Rogério Gomes. A trama se passava no horário das seis e era protagonizada por Alinne Moraes, Paolla Oliveira e Rafael Cardoso e foi grande sucesso de audiência e crítica, chegando, por vezes, a bater a audiência da novela das nove da época “A Regra do Jogo”.

A coluna Crítica em Foco está em clima de nostalgia nesta semana e vai relembrar a ousadia da autora em apostar numa trama completamente diferente de tudo que já foi proposto na teledramaturgia, com temática espírita e com elenco de peso.

História inovadora

O correto é dizer histórias, no plural mesmo. Isso porque a autora não propôs ao público apenas uma novela das seis. Foram duas. ‘Além do Tempo’ era dividida em duas fases, com os mesmos atores que teriam o mesmo nome nas duas etapas da história. A princípio parece confuso, mas na prática funcionou perfeitamente.

A primeira fase se passa no século 19, e retrata a história de um amor improvável, mas tão forte, que nem a morte é capaz de abalar. Lívia e Felipe são de classes sociais distintas: ela é uma jovem humilde. Ele, um nobre Conde às vésperas de subir ao altar com a bela Melissa. Viver essa paixão parece impossível diante de tantos empecilhos. Além do compromisso do Conde, Lívia descobre que é neta da Condessa, inimiga mortal de sua mãe. A primeira fase acaba com Felipe e Lívia morrendo e selando um amor eterno.

Encerra-se então, uma primeira fase com começo, meio e fim e uma nova novela nasce 150 anos depois. Todos os personagens têm uma segunda chance para redimir os erros do passado. Felipe e Lívia terão uma nova chance para viver o amor.

Grandes atuações e não-reprise

A novela contou com elenco de peso. Além dos já citados, a trama teve grandes interpretações de Ana Beatriz Nogueira, Emílio Dantas, Nívea Maria, Júlia Lemmertz, Irene Ravache, Juca de Oliveira, Felipe Camargo, Louise Cardoso e outros grandes artistas.

A novela quase foi reprisada neste ano, devido ao agravamento da pandemia, mas a faixa acabou sendo ocupada por ‘A Vida da Gente’. No Vale a Pena Ver de Novo, a Globo insiste em colocar títulos mais recentes e parece ter esquecido essa história tão importante e de sucesso na gaveta. Vale lembrar que a atual reprise de ‘Ti-Ti-Ti’, chega ao fim em setembro e uma substituta ainda não foi confirmada.

Autora injustiçada

A responsável por toda a criatividade, Elisabeth Jhin que também escreveu sucessos como ‘Eterna Magia’, ‘Escrito Nas Estrelas’ e ‘Espelho da Vida’, não teve seu contrato renovado com a emissora neste ano. Agora, se ela vier a fazer outra novela será no formato de contrato por obra. Uma injustiça tremenda deixar uma grande autora como essa solta no mercado. Que venham mais obras de Jhin.

Veja no Globoplay

Para quem ainda não viu ou gostaria de rever essa obra, o Globoplay a disponibiliza na íntegra em seu catálogo. Vale muito a pena, é uma das melhores novelas das seis da última década e tem um casamento perfeito entre: roteirista, diretores, produção e elenco. Tudo em seu devido lugar, com cenas grandiosas e perfeitamente bem feitas na pré e na pós-produção.

Publicado na edição 10.593, de sábado a terça-feira, 17 a 20 de julho de 2021.