Alunos da rede estadual de ensino devem efetivar matrícula

Para estudantes que já estão matriculados, o prazo termina na sexta-feira (16). Já para aqueles alunos que ainda não fazem parte da rede estadual, o prazo vai até o final deste mês.

0
35
(Divulgação/Governo de SP)

Alunos que já integram a rede pública estadual têm até a próxima sexta-feira (16), para efetivarem sua matrícula para o ano letivo de 2021 no Estado. A solicitação deve ser feita pelo aplicativo Minha Escola SP ou pela plataforma Secretaria Escolar Digital (SED).
Para os alunos que ainda não fazem parte da rede estadual, o prazo de matrícula estende-se até o dia 30 deste mês. Pais e interessados devem procurar qualquer escola estadual, a diretoria de ensino ou os postos do Poupatempo para a efetivação.
No momento da matrícula, alunos e responsáveis podem optar por cursos de idiomas extras oferecidos pelo Centro de Estudos e Línguas; pelo modelo de ensino técnico do Novotec desenvolvido em parceria com o Centro Paula Souza; pelo 4º ano opcional do ensino médio; ou ainda pela matrícula em escolas de tempo integral.
Os alunos que manifestarem interesse em permanecer na rede estadual e cursar o 4º ano, devem confirmar a opção, posteriormente, em dezembro. Além disso, deve escolher entre três e 13 disciplinas para compor seu currículo. A oferta de vagas vai variar de acordo com a disponibilidade da escola.
“O ano de 2021 será um grande desafio para todas a áreas. Na educação, não será diferente. Precisamos fazer a busca ativa dos alunos para o último bimestre de 2020, que começa neste mês. E engajar todos os nossos estudantes e seus responsáveis para realizarem as matrículas para o ano que vem. Não podemos deixar nenhum aluno para trás”, afirmou o secretário Estadual de Educação, Rossieli Soares.
O governo estadual manteve o retorno opcional das aulas para alunos do ensino médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos) da rede estadual a partir desta quarta-feira (7). Para as escolas que atendem alunos do ensino fundamental, a data prevista de retorno foi alterada para 3 de novembro. Tanto o calendário de retomada presencial como a realização de atividades de reforço nas escolas municipais, estaduais e privadas dependem da autorização de cada prefeitura.
A reabertura deve respeitar limites máximos de alunos e protocolos sanitários. Nas redes privadas e municipais, a educação infantil e os anos iniciais do ensino fundamental podem ter até 35% dos alunos por dia em atividades presenciais. Para os anos finais dos ensinos fundamental e médio, o limite máximo é de 20%. Na rede estadual, só é permitido o atendimento de até 20% em todas as etapas.

 

Publicado na edição nº 10524, de 7 a 9 de outubro de 2020.