Apesar da queda de 65% em 7 dias, número de casos de Covid-19 ainda preocupa

Em contrapartida, de 26 de maio a 2 de junho, os óbitos em decorrência de complicações da Covid-19 cresceram 31,75%, de acordo com boletim.

0
40
(Fonte: Vigilância Epidemiológica de Bebedouro)

Uma semana após os altos índices de casos e óbitos, Bebedouro registra queda no número de infecções, mas crescimento nas mortes. De sexta (28 de maio) a quarta-feira (2 de junho), segundo levantamento realizado pela Gazeta de Bebedouro, com dados da Vigilância Epidemiológica, a cidade tem 570 novos casos de Covid-19, indicando queda de 65% em relação à semana anterior, de 21 a 27 de maio, quando foram contabilizados 1.630 infectados.

Os casos passaram de 7.524, em 28 de maio (uma sexta-feira), para 8.094 na quarta (2), segundo boletim divulgado. A média móvel de casos em 13 dias é de 169,23 novas contaminações ao dia, considerando apenas os moradores da cidade.

O número total de positivados, incluindo pessoas de outros municípios, é de 8.935. Destes, 8.399 estão recuperados, sendo 7.579 moradores de Bebedouro. Há ainda 283 pacientes em monitoramento, isolados em suas residências. Outras 57 pessoas aguardam resultado de exames, não estando incluídos no número de positivados.

Em uma semana, de 26 de maio a 2 de junho, os óbitos em decorrência de complicações da Covid-19 cresceram 31,75%, de acordo com o boletim divulgado na quarta-feira (2), passando de 205 para 232. Em 14 dias, a média móvel é de 3,71 mortes.

(Fonte: Vigilância Epidemiológica de Bebedouro)

Ainda segundo a Vigilância Epidemiológica, de sexta (28 de maio) até quarta-feira (2 de junho), são 17 óbitos: nove no fim de semana, seis na segunda (31 de maio) e dois na terça-feira (1º), de acordo com dados do boletim, divulgado na quarta-feira (2). Os óbitos mais recentes são de oito mulheres de 41, 62, 70, 71, 77, 80, 81 e 94 anos – no Hospital Municipal, Estadual e no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Barretos, e também de oito homens de 34, 44, 49, 54, 55, 60, 69 e 70 anos, que faleceram no Hospital Municipal, Estadual e Unimed. Dos 15 pacientes, cinco deles apresentavam comorbidades, sendo elas, diabetes, hipertensão, doença cardíaca, obesidade e cirrose hepática. A Vigilância não divulgou os dados de um paciente.

Ocupação de leitos

No Hospital Estadual, a ocupação de leitos segue em 100%, com 20 pacientes em estado grave. Na Unimed, os 11 leitos também estão ocupados (100%). Há ainda 19 bebedourenses em UTIs de outros municípios, sendo nove pelo SUS (Sistema Único de Saúde), e outros 10 doentes estão internados em diferentes hospitais, seguindo a orientação do convênio médico de cada paciente.

Nas enfermarias de hospitais da cidade são 20 doentes no Hospital Estadual, 100% ocupados, 16 no Municipal, três na UPA e 17 na Unimed, totalizando 56 pacientes internados.

 

Painel Covid-19

 

De acordo com levantamento do Painel Covid-19, da Prefeitura de Bebedouro, a região central concentra a maior parte dos infectados do município. Até quinta-feira (27 de maio), o centro, área de maior densidade demográfica da cidade, era responsável por 905 dos 7.101 casos registrados naquela data, considerando apenas os residentes em Bebedouro (12,74%). O bairro também possui o maior número de mortes do relatório: 27 óbitos até 27 de maio.

O painel mostra que 96 bairros já possuem ao menos um infectado pelo vírus, além da zona rural, distritos e povoado, sendo que 15 deles estão em evidência. No Residencial Centenário, são 391 casos e 13 óbitos; no Residencial Santaella, 310 e 8 mortes; no Jardim Menino Deus, são 262 casos e cinco óbitos; no Residencial Bebedouro, 249 e seis; no Tropical, 240 e 10 mortes; no Parati, 237 casos e 13 óbitos; no Jardim Cláudia, 227 e oito; no Eldorado e no Alvorado, são 225 casos em cada bairro e dois e nove óbitos, respectivamente; no Pedro Paschoal, 213 e seis mortes; no União, 202 e nove; no Pedro Maia, são 171 e cinco; Vale do Sol, 160 e uma morte; e, no São Carlos, 156 casos e cinco óbitos.

O levantamento aponta também 67 infectados no distrito de Botafogo e dois óbitos; 27 em Andes, com três mortes; Turvínia e Povoado de Andes registraram 11 e dois casos, respectivamente.

Na categoria de gêneros, 54% são mulheres (4.060 infectados) e 46% são homens (3.444). A faixa etária com maior índice de contaminação são adultos de 30 a 39 anos, com 1.678 registros; seguidos da faixa de 40 a 49 anos, com 1.560; 18 a 29 anos, com 1.538; 50 a 59 anos, com 1.144; 60 a 69 anos, com 670; 70 a 89 anos, com 425 infectados; jovens de 10 a 17, com 265 registros; crianças de 0 a 9 anos, com 197; tendo por fim, a faixa de idosos acima de 90 anos, com 27 casos, sendo esta a de menor quantia populacional.

Todos estes dados levam em consideração os casos e mortes computados até 27 de maio.

Publicado na edição 10.583, de 3 a 8 de junho de 2021.