Árvores estavam condenadas, diz Seren

0
265

O corte das árvores da praça Barão do Rio Branco, no centro cidade, está causando polêmica nas redes sociais. O diretor de Meio Ambiente, Lucas Seren, explica que “as árvores estavam doentes e não tinha mais o que fazer; estavam condenadas e ofereciam riscos aos pedestres”. Seren explica que a poda realizada no final de 2016 tentou reverter à situação: “Mas, não refloresceram. Infelizmente, não obtivemos sucesso com o procedimento. Estas árvores são da espécie Ficus benjamina, não nativa, que são atacadas por pragas”, explica.
Não é a primeira vez, que o corte de árvores causa polêmica na cidade. Esta mesma espécie teve árvores dizimadas na avenida Pedro Paschoal, pelo mesmo problema. Mas, o projeto “Gazeta Empresa Cidadã”, em 10 de dezembro de 2005, em vez de reclamar, realizou o plantio de dezenas de mudas de ipês brancos, que florescem a todo mês de agosto. Inspirem-se.

Publicado na edição nº 10079, de 12 e 13, de janeiro de 2017.