Até que enfim uma solução para o Mercado novo

0
119

Uma obra iniciada há seis anos, finalmente será concluída em parceria com a iniciativa privada.

Há uns dez anos que o mundo político brasileiro percebeu que uma das alternativas para contornar a falta de recursos financeiros seria estabelecer parcerias com a iniciativa privada.
Como as novas tendências demoram a chegar em Bebedouro, aos poucos a Prefeitura começa adotar esta prática para solucionar obras empacadas.
Uma delas é a reforma do Mercado novo. A obra começou no final da gestão de Hélio Bastos (PDT) que deixou o mandato sem terminar. O atual prefeito, João Batista Bianchini (PTB), o Italiano levou praticamente quatro anos para conseguir a solução que apareceu graças à direção do Supermercado Laranjão, que vai abrir uma filial no local.
Deve-se parabenizar o atual diretor de Desenvolvimento Econômico, Serginho de Almeida que teve jogo de cintura e não caiu no discurso barato daqueles que vão chamar isto de privatização do espaço público. Quem fala desta forma já deveria ter apresentado opção há muito tempo.
A entrada do supermercado também resultou na atração outras lojas querendo instalar-se e há rumores de que outras empresas efetivamente estarão lá em breve. Nada surpreendente porque o Mercado novo está em um ponto estratégico de Bebedouro. Fica ao lado do Terminal Rodoviário e na avenida Pedro Paschoal, uma das via públicas mais movimentadas da cidade.
Outro fato positivo é que os comerciantes que há décadas trabalham no Mercado estão também empolgados. Alguns permissionários resolveram até melhorar a fachada de seus negócios.
Se der certo, o projeto do Mercado novo pode servir de exemplo para a revitalização do Mercado velho. Instalado na região central, o local há muito tempo precisa de reforma. O caminho é incentivar a parceria público-privada para investir nas melhorias.
Enfim, há jeito para tudo, basta ter ousadia e criatividade administrativa.

 

Publicado na edição n° 9485, dos dias 11 e 12 de dezembro de 2012.