Bebedouro fecha fevereiro com maior número de casos desde março de 2020

Até terça (2), cidade soma 3.748 infecções pelo vírus e 86 mortes, em 1 ano de pandemia.

0
124

Bebedouro tem 3.748 pessoas infectadas pela Covid-19 desde março de 2020, segundo boletim epidemiológico de terça-feira (2). Deste montante, 3.276 residem em Bebedouro e 472 moram em cidades da microrregião, mas foram diagnosticadas em hospitais locais.
O boletim aponta ainda que 3.619 pacientes já estão recuperados do vírus (3.151 de Bebedouro e 468 da região) e 43 pessoas estão infectadas, cumprindo isolamento domiciliar. Outros 37 bebedourenses estão sob suspeita da doença, aguardando resultados de exames laboratoriais.
A Gazeta acompanha mensalmente a evolução de contaminações da Covid-19 na cidade, desde o início da pandemia e aponta que fevereiro foi o mês que mais registrou contaminações pelo novo coronavírus, em todo período de pandemia. Nos 28 dias de fevereiro, Bebedouro registrou 835 infecções pelo vírus entre moradores da cidade, totalizando 3.233 até domingo (28 de fevereiro). Em comparação com os 516 casos registrados em todo mês de janeiro, o aumento é de 61,8%.
Os óbitos em decorrência da Covid-19 subiram para 86, com uma morte no início da semana: mulher, 82, com hipertensão, que faleceu no Hospital Municipal.
A ocupação de leitos em Bebedouro, no Hospital Estadual, está em 90%, com 18 pacientes em estado grave. Já na Unimed, quatro dos 11 leitos estavam ocupados (36%). Há ainda quatro bebedourenses em UTIs de Barretos. As internações em enfermarias somam 25: 10 pessoas estão no Hospital Estadual, três no Municipal e 10 na Unimed. Todos estes ainda não constam do total de infectados.
Fiscalização da restrição de circulação
Com o decreto municipal que restringe a circulação de pessoas e veículos das 21h às 6h, as forças de segurança estão intensificando a fiscalização, para impedir aglomerações e circulação indevida dentro do horário estipulado de restrição. Segundo a Guarda Civil Municipal, entre sábado e domingo (27 e 28 de fevereiro), foram averiguadas mais de 30 ocorrências de ‘descumprimento de ordem pública’ e duas autuações com multas foram efetivadas, sendo uma de pedestre que negava-se a voltar para sua casa, e outra em edícula, com aglomeração e som alto.
A GCM informa ainda que duas motos também foram apreendidas no fim de semana, por ‘direção perigosa’ no período de restrição. Em um dos casos, o condutor da moto tinha 15 anos.

Panorama regional
A Prefeitura de Taquaritinga confirmou um caso da variante britânica da Covid-(B.1.1.7), em moradora da cidade, de 30 anos, que não esteve fora do país, mas segundo a Secretaria de Saúde de Taquaritinga, a paciente trabalha em contato com pessoas que viajam constantemente a São Paulo. O sequenciamento genético foi feito pela Unesp, que faz parte da rede Corona-Ômica, subdivisão da rede vírus, criada em março do ano passado, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. No entanto, a Secretaria Estadual de Saúde ainda não reconheceu o caso.
A Prefeitura de Taquaritinga conta que a moradora procurou a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do município com sintomas intensos, como dor de cabeça, no corpo, na garganta e diarreia. Foi feito teste RT-PCR, que indicou resultado positivo para a Covid-19. Por conta dos sintomas intensos, as amostras foram solicitadas pela Unesp, que fez o sequenciamento.
Em entrevista à CNN, na semana passada, o diretor científico do Hemocentro de Ribeirão Preto, Rodrigo Calado, alertou para o crescente número de casos das variantes da Covid-19 na região. Segundo Calado, os pacientes infectados, agora, são mais jovens, com média de 36 anos, saudáveis, sem comorbidades e que não apresentam os sintomas característicos da infecção pelo vírus.
Os primeiros casos registrados na região foram em Araraquara e a cidade vive colapso da saúde devido à nova cepa, encontrada pela primeira vez em Manaus (P.1). As internações e mortes provocadas pelo novo coronavírus dispararam em fevereiro em Araraquara, após a detecção da nova variante. Com 100% de ocupação em leitos de UTI há mais de uma semana, Araraquara soma 113 mortes confirmadas pela doença em janeiro e fevereiro, ante 92 registradas entre março e dezembro do ano passado. Além disso, das 113 mortes em Araraquara neste ano, 89 foram registradas somente em fevereiro.
Enquanto no ano passado apenas uma pessoa com menos de 40 anos morreu vítima da Covid-19 em Araraquara, neste ano, já são nove óbitos de pessoas com idade abaixo de 40 anos. Este dado confirma a afirmação de Rodrigo Calado de que a nova variante, além de ser mais contagiosa e letal, tem alto poder de contaminação entre jovens.

Publicado na edição 10.559 de 3 a 5 de março de 2021