Bebedouro soma 14 casos suspeitos de coronavírus

Prefeito Galvão anuncia instalação de 12 novos leitos no Hospital Municipal.

0
283
(Divulgação)

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica municipal, informados a Gazeta, às 14h de segunda-feira (23), Bebedouro contabiliza 14 suspeitas para o novo coronavírus (Covid-19). Os novos casos foram diagnosticados durante o fim de semana e inseridos no sistema, na manhã de segunda.

De acordo com a coordenadora da pasta, Thais Teixeira, todos os casos são importados, ou seja, não há registros de contaminação local. Dentre os 14 suspeitos estão uma criança e 13 adultos, abaixo dos 60 anos. Não houve devolutiva de nenhum diagnóstico do Instituto Adolfo Lutz até o momento.
As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 12h de segunda-feira (23), 1.629 casos confirmados do vírus no Brasil, em 26 estados e no Distrito Federal. Somente no estado de São Paulo, são 631 casos confirmados. No Brasil, 25 mortes foram contabilizadas, sendo 22 em São Paulo e três no Rio de Janeiro.
“A Vigilância Epidemiológica não pode informar sobre a situação dos pacientes e se há casos graves precisando de internação, mas garantimos que estamos monitorando todos os pacientes suspeitos, intensificando ações e, em conjunto com a Prefeitura Municipal, incentivando e recomendando o isolamento domiciliar, principal forma de redução da contaminação do vírus”, diz a coordenadora da pasta, Thais Teixeira.
O processo de diagnóstico, segundo a coordenadora, seja na saúde pública, através da UPA 24h (Unidade de Pronto Atendimento), Hospital Municipal e Atenção Básica, ou na saúde privada, quando um paciente dá entrada com sintomas similares ao do coronavírus, é acionada a Vigilância Epidemiológica para coleta de material para exame, que é encaminhado à unidade do Adolfo Lutz, em Ribeirão Preto, e reencaminhado para a central do instituto, na capital paulista.
“A determinação do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde, desde sábado (21), é que somente devem ser considerados suspeitos, com realização de coletas de materiais, os pacientes que trabalham no setor da saúde e aqueles pacientes que apresentem sintomas graves da doença. Em Bebedouro, só contam como casos suspeitos os que forem coletados, ou seja, pacientes com sintomas leves, que não se enquadram no protocolo do Ministério da Saúde, não são contabilizados como suspeitos”, explica Teixeira.

Atendimento de Bebedouro
Na manhã de segunda-feira (23), o prefeito Fernando Galvão reuniu-se com responsáveis por diferentes setores da saúde pública, envolvendo UPA, Hospital e ESF’s (Estratégias de Saúde da Família), para anunciar que 12 novos leitos estão preparados e adaptados para atender pacientes em estado grave da doença, no Hospital Municipal.
“A rede municipal de saúde e rede hospitalar estão preparadas para fazer os atendimentos”, garante Galvão, tranquilizando a população. A Gazeta, a secretária de Saúde, Sônia Junqueira acrescenta: “Também estamos tomando iniciativas na compra de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), insumos e medicações necessárias para pacientes com Covid-19”.
Questionada sobre a demanda de atendimento na rede municipal, Junqueira diz estar tendo alto fluxo na UPA, “mas pedimos aos pacientes que estão com sintomas leves de qualquer doença, que fiquem em casa e isolem-se. Em caso de sintomas mais fortes, procurem a unidade de saúde de seu bairro, que possui menos movimento, para evitar contaminações”, recomenda a secretária, reforçando que “a recomendação principal é para que os moradores fiquem em casa. Não se esqueçam também de lavar as mãos, frequentemente. Sabemos que o álcool gel está em falta, mas indicamos que este seja usado apenas em caso de não haver possibilidade de lavar as mãos. Outra medida, é trocar as roupas assim que chegar em casa, para evitar contaminação dos familiares. Com 14 casos suspeitos, temos chances de termos resultados positivos, por isso, o cuidado deve ser redobrado. Não dá para ficar parado, esperando a pandemia passar, precisamos combater todas as formas de contaminação”.
Ainda de acordo com a secretária de Saúde, o atendimento agendado de pacientes está sendo reavaliado, dando preferência aos mais urgentes, especialmente no que diz respeito a cirurgias. “Não podemos parar, mas temos que dar prioridade a quem precisa de cuidados urgentes. Consultas sem gravidade serão adiadas e assim, manteremos qualidade e justiça no atendimento”, conclui Junqueira.