Bebedouro soma 49 casos positivos e duas mortes em hospitais da região

Vereadores acusam prefeito de não abrir igrejas; diretor de Planejamento rebate já que a decisão foi proferida pela justiça, em 2ª instância.

0
127

Até a tarde de terça-feira (2), cinco novos casos positivos da Covid-19 haviam sido registrados em Bebedouro, de acordo com levantamento da Vigilância Epidemiológica. São 49 pacientes confirmados com a doença, sendo 36 de Bebedouro e 13 moradores da microrregião, atendidos em hospitais públicos e privados da cidade.
Os pacientes que receberam diagnóstico negativo para o novo coronavírus subiram para 199, sendo 156 de Bebedouro e 43 da região. Ainda de acordo com o boletim, 18 pessoas aguardam resultados, sendo 14 bebedourenses e quatro moradores da microrregião. Outros 35 pacientes estão recuperados da doença, que já soma 226 notificações, desde os primeiros registros, em 17 de março.
Um paciente está internado em estado grave, na UTI do Hospital Unimed e são duas internações leves, em enfermarias do Hospital Municipal e da Unimed.
Um novo óbito de bebedourense em hospital da região foi contabilizado, na segunda (1º). Trata-se de mulher de 55 anos, moradora do Jardim Tropical, que sofria de câncer de pulmão, com metástases. Assim como a primeira morte, a segunda vítima passava por tratamento contra câncer em Barretos, onde contraiu a Covid-19 e foi a óbito.
Em ambos os casos, por serem moradoras de Bebedouro, o Ministério da Saúde determina que as mortes devam ser contabilizadas no local de residência das vítimas, não no local do óbito. Em hospitais de Bebedouro não há mortes registradas.
Novas medidas – Desde segunda (1º), o comércio bebedourense passou a funcionar com medidas flexibilizadas, permitindo a entrada de clientes nas lojas, porém com restrição e reforço de higienização. A Gazeta acompanhou o movimento na rua Cel. João Manoel, na segunda e terça (1º e 2), por volta das 13h, e notou aumento do fluxo de pessoas. Os estabelecimentos seguem as restrições de entrada de clientes, porém, em alguns locais, é possível ver falta de distanciamento nas filas externas.
Índice de isolamento – O Simi-SP (Sistema de Monitoramento Inteligente), que contabiliza o índice de isolamento das cidades paulistas com população acima de 70 mil habitantes, aponta que o isolamento em Bebedouro volta a subir. Apesar de ter deixado de constar no ranking das 20 cidades com índices mais altos no final de semana, na segunda (1º), voltou à lista, em 7º lugar no estado.
O último levantamento divulgado pela Gazeta mostrava que na quinta (28 de maio), o isolamento de Bebedouro estava em 51%. Na sexta (29 de maio), o índice sofreu leve queda, ficando em 50%, mantendo a mesma taxa no sábado (30 de maio). Já no domingo (31 de maio), voltou a subir para 52%. Na segunda (1º), a taxa foi de 49%.
Dentre os municípios da região, analisados pela Gazeta, Bebedouro segue com índice mais alto, seguida de Sertãozinho (46%), Jaboticabal (45%), Ribeirão Preto (45%), Matão (43%), São José do Rio Preto (43%) e Barretos (40%).

Outros tempos – Com as determinações do estado para retomada da economia, lojas recebem maior volume de clientes. As imagens comparam o movimento da rua do comércio em 14 de abril e 1º de junho (segunda). (Fotos: Gazeta)

 

Justiça determina: templos religiosos seguem fechados
Por determinação judicial, os templos religiosos estão impedidos de receberem fiéis para celebrações, em Bebedouro. Segundo o diretor de Planejamento, Rogério Valverde, desde o início da pandemia, a Prefeitura está em contato com líderes religiosos, ‘costurando’ termo de responsabilidade e compromisso, para permitir que templos fossem abertos, seguindo determinações sanitárias.
“Nas últimas semanas de maio, estávamos finalizando o documento para ser assinado pelos representes de diferentes religiões, quando fomos notificados pela justiça que um pastor evangélico, ligado ao Conselho de Pastores, ingressou com ação na justiça, postulando a abertura das igrejas”, conta Valverde.
Este pastor, também advogado, entrou com ação de forma sigilosa em 14 de maio, enquanto a Prefeitura buscava formas para reabrir os templos. Em 22 de maio, o juiz de Bebedouro negou a liminar e o Ministério Público também foi contrário à abertura de igrejas na cidade, impedindo que qualquer acordo de responsabilidade fosse assinado.
“Na sequência, voltamos a nos reunir com as lideranças religiosas e sugerimos que pedissem ao pastor, para que desistisse da ação e o processo fosse arquivado, permitindo que a flexibilização de abertura das igrejas fosse possível. Ao invés disso, o pastor entrou com recurso no Tribunal de Justiça de São Paulo, questionando a decisão do juiz bebedourense”, acrescenta o diretor. Na tarde de segunda (1º), às 15h30, o desembargador do TJ-SP, em segunda instância, confirmou a decisão do juíz de Bebedouro, proibindo abertura de templos religiosos.
Contrários – Na sessão ordinária da Câmara, na segunda (1º), o vereador Nasser Abdallah (PDT) alegou que a decisão de abrir as igrejas estaria com o prefeito, já que ele determinou o fechamento por meio de decreto municipal, contrariando decreto federal, mas na verdade, segundo o STF (Superior Tribunal Federal), as medidas de abertura de estabelecimentos são de competência de estados e municípios e não federal. Mas em Bebedouro, o processo foi judicializado.
Fernando Piffer também criticou o prefeito, com falsas acusações: “em Bebedouro liberou bar, mas os templos religiosos não podem abrir. Quando houve judicialização dos cargos comissionados, o prefeito mandou para a Câmara o projeto, a Câmara aprovou e foi resolvido. Ele usa dois pesos e duas medidas. Quando interessa, (o prefeito) fala que (a decisão) está com a justiça, quando não interessa, resolve e nem liga pra justiça. Com essa atitude anticristã do Executivo, pode beber bebida alcoólica, mas não pode beber do Espírito Santo”, também fingindo desconhecer a sentença do Tribunal/SP.
Piffer alegou também, que devido a cidade compor o grupo amarelo, do Plano São Paulo, igrejas podem funcionar com restrições. O vereador não se ateve, porém, ao fato de que, quando o processo foi julgado, havia decreto estadual impedindo que igrejas recebessem fiéis.
O diretor Valverde explica ainda que, enquanto não havia decisão judicial, era possível promover, de forma segura e restrita, a abertura das igrejas, porém, agora é impossível. “Se não cumprirmos a sentença, estaremos infringindo a lei”, diz.

Estado
Com objetivo de arrecadar cobertores novos para ajudar as pessoas em situação de vulnerabilidade social a enfrentar o período de frio, o Fundo Social de Solidariedade de São Paulo lança a Campanha Inverno Solidário 2020.
A ação será realizada dia 2 deste mês até 22 de setembro, com recolhimento de cobertores novos junto aos estabelecimentos parceiros. “Este ano, em razão da pandemia do coronavírus, estão sendo arrecadados apenas cobertores novos para evitar o risco de transmissão da doença na manipulação de peças usadas. Por meio do Comitê Empresarial Solidário, já recebemos hoje a doação de 60 mil cobertores”, afirmou João Doria, em coletiva, no início da tarde de segunda-feira (1º de junho), no Palácio dos Bandeirantes.
As doações recebidas serão destinadas para moradores de rua e entidades sociais, entre hospitais e centros de acolhida nos 645 municípios de São Paulo. “Investir no próximo é um grande ato solidário”, mencionou Bia Doria, primeira-dama do Estado de São Paulo e Presidente do Fundo Social.

Nova modelagem – Célia Parnes, secretária de Desenvolvimento Social do Estado, e Bia Doria, presidente do Fundo Social Estadual, apresentam a Campanha Inverno Solidário, que este ano arrecada apenas cobertores novos. (Divulgação/Governo de SP)


Doações:
O Governo de São Paulo anunciou a arrecadação de R$ 717 milhões em doações da iniciativa privada, que serão aplicados integralmente nas estratégias de contenção dos efeitos da pandemia do novo coronavírus no estado. O valor foi obtido junto a 362 empresas do Grupo Empresarial Solidário de São Paulo.
As reuniões do Grupo Empresarial Solidário de São Paulo são realizadas semanalmente. Somente as doações feitas na segunda (1º de junho) chegaram a R$ 51 milhões.
Órgãos estaduais: Mesmo com a flexibilização do funcionamento do comércio e serviços, desde segunda-feira (1º), o Poupatempo e o Detran.SP permanecem fechados, não apenas em Bebedouro, como em todos os municípios, por tempo indeterminado, de acordo com Governo do Estado de São Paulo.
Apesar de não contar com atendimento presencial, a população pode acessar parte dos serviços pela internet, por meio dos aplicativos para iOS e Android. O Poupatempo, inclusive, ampliou o leque de opções para os atendimentos online, com o aplicativo Poupatempo Digital, com mais de 60 serviços.
O atendimento digital do Detran, com pelo menos 40 serviços online, também atende as necessidades das atividades públicas e privadas. Entre os serviços disponíveis na plataforma estão os relacionados à Carteira Nacional de Habilitação, veículos e infrações. Segundo o órgão, todos os prazos de serviços foram suspensos. O aplicativo do Detran pode ser baixado no celular.

 

Publicado na edição nº 10490, de 3 a 5 de junho de 2020.