Bebedouro soma 639 casos e 28 mortes pela Covid-19

Rodoviária volta a funcionar, com pouco movimento. Gazeta analisa dados das regionais de saúde de Barretos e Ribeirão Preto.

0
98

Bebedouro soma 639 pacientes contaminados com Covid-19, desde março deste ano, segundo boletim epidemiológico de terça-feira (18). Do total, 546 são de Bebedouro e 93 são pacientes da região. Dentre estes, a cidade já contabiliza 500 recuperados, sendo 421 bebedourenses e 79 moradores da região. Há ainda 111 pacientes em isolamento: 97 de Bebedouro e 14 da região.
Os óbitos subiram para 28, de acordo com o boletim de segunda (17), sendo os dois óbitos mais recentes registrados em Bebedouro: um na Unimed e um no Hospital Estadual. As vítimas são homem de 57 anos, com histórico de diabetes, hipertensão e cardiopatia; e mulher de 73 anos, com hipertensão e obesidade.
Há sete bebedourenses internados em UTI, cinco em Bebedouro, entre Unimed e Hospital Estadual, e dois em Barretos. Há também outros quatro infectados em enfermarias de Bebedouro.
De acordo com o Simi-SP, do Governo de SP, o índice de isolamento de Bebedouro, na sexta (14), era de 49% e subiu no fim de semana, passando para 50% no sábado (15), mesmo com funcionamento do comércio das 9h às 14h; e no domingo (16), chegou a 59%, em 1º lugar no ranking de 20 cidades do estado. O índice elevado de Bebedouro registrado no domingo, segue tendência dos dois finais de semana anteriores, os maiores desde maio. Na segunda (17), o índice caiu para 53% e Bebedouro ocupa a 2ª colocação no estado.
Considerando os casos de Bebedouro e a população de 77,5 mil habitantes, há 8,24 pessoas contaminadas com Covid-19 por cada mil habitantes. Já a taxa de letalidade, que indica a porcentagem de pacientes infectados que faleceram em decorrência da doença, é de 4,38%, considerando 28 óbitos e 639 infectados.

Rodoviária reaberta
Por decreto municipal, o Terminal Rodoviário de Bebedouro voltou a funcionar na segunda-feira (17), após cinco meses de fechamento, em decorrência da pandemia da Covid-19. Com horários reduzidos e reforçando medidas de higienização, apenas três linhas de ônibus estão circulando na cidade, em trajetos intermunicipais.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Rogério Valverde, a decisão foi embasada em conjunto com os integrantes do GEI (Grupo Estratégico de Isolamento), que envolve setores da segurança, Vigilância Sanitária e Epidemiológica, Secretarias de Saúde e Desenvolvimento, diretoria de Planejamento e Fiscalização e o Gabinete, através do próprio prefeito Fernando Galvão.
“Tomamos esta decisão agora, após pesquisas, pois acreditamos que a abertura da rodoviária auxiliará os munícipes que precisam se deslocar para outras cidades, sem gerar aglomerações. Esta primeira semana será de testes e monitoramento, para definirmos se há necessidade de criar ações específicas para a rodoviária, monitorando passageiros que chegam de outras cidades, fazendo aferição de temperatura e distribuição de máscaras”, esclarece Valverde.

Sem aglomeração – Desde a reabertura da rodoviária, na segunda-feira (17), poucos passageiros são vistos embarcando e desembarcando nos ônibus intermunicipais. (Gazeta)

 

 

Até a tarde de terça-feira (18), apenas três empresas estavam atendendo na rodoviária de Bebedouro, Itamarati, Danúbio Azul e Rápido D’Oeste, com horários reduzidos, uso obrigatório de máscaras, distanciamento e intensificação das medidas de higienização, que são orientadas pelos motoristas de cada companhia.
Funcionários de guichês informam que desde a reabertura, após cinco meses, os atendimentos ainda estão quase paralisados. A Gazeta esteve na rodoviária na tarde de terça (18) e confirmou que não há aglomerações no local, com poucos passageiros.
De acordo com levantamento da Artesp, de janeiro a junho deste ano, o número de passageiros no estado de São Paulo caiu 52,47% e as viagens realizadas por serviços rodoviários regulado pela agência, reduziram 46,64%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Comparativo das regionais
A Gazeta teve acesso aos dados da Secretaria Estadual de Saúde, computados pela Fundação Seade, que apontam 6,4 mil casos confirmados da Covid-19 no DRS 5 (Departamento Regional de Saúde), de Barretos, que reúne 18 municípios, incluindo a cidade sede e Bebedouro.
O levantamento contabilizado até às 15h de segunda-feira (17), mostra que além dos 6,4 mil casos positivos da Covid-19, desde março deste ano, o DRS tem 173 óbitos registrados. A média móvel mais recente, referente à semana anterior, de 10 a 16 de agosto, é de 159 novos casos por dia, na regional de Barretos.
O estudo também aponta que, juntas, as 18 cidades têm 72,1% de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), incluindo hospitais particulares e públicos. Já a ocupação das enfermarias, é de 23,5%. A média, na semana passada, é de 76 novas internações por dia, entre enfermarias e UTIs. A região que soma 440,8 mil habitantes, conforme estimativa do IGBE, de 2019, possui 23,5 leitos de UTI para tratamento do novo coronavírus, por mil habitantes, segundo levantamento da Fundação Seade.
Já o DRS 13, de Ribeirão Preto, com 25 cidades, soma 24,6 mil casos positivos do vírus, além de 813 óbitos registrados. Segundo a Seade, são 414 novos casos por dia, entre confirmados e suspeitos, na regional de Ribeirão. A ocupação de leitos de UTI das 25 cidades é de 65,9%, enquanto nas enfermarias, é de 54,3%, com média móvel de 76 novas internações por dia. Com 1,48 milhão de habitantes, o DRS 13 possui 23,5 leitos de UTI-Covid por mil habitantes.

 

Publicado na edição nº 10511, de 19 a 21 de agosto de 2020.