Casa

A página Evidências traz notícias de destaque que acontecem em nosso dia a dia com fatos e fotos que marcam o nosso cotidiano.

0
99
A querida Vel Marçal que completa idade nova.

Dentro de casa, para além de um abrigo seguro, diferentes aspectos sensoriais (luz, cores, simetrias, cheiros, sons, temperaturas, texturas etc.) e suas interações modulam nossa percepção de conforto. Essa é a discussão norteadora da edição de março de Casa Vogue, que traz especialistas de arquitetura e decoração para promover debates sobre as sutilezas que fazem toda a diferença no morar. Uma matéria sobre Design Emocional que apresenta peças que se tornam afetivas e os refúgios dos criativos Nani Marquina, Bruno Maduro e Daniel Pegoraro são alguns destaques da publicação. Em um dossiê de quatro reportagens especiais, a edição de março investiga a experiência do conforto sob a ótica dos sentidos.

A primeira matéria tem como norte a visão, sentido que não opera sem a luz, e aborda a importância da iluminação e da temperatura das cores na composição dos ambientes.

Em seguida, o especial apresenta um capítulo sobre a audição, que revela os danos que a poluição sonora, classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o segundo tipo de poluição ambiental que mais afeta a saúde da população, e os benefícios do cuidado com a acústica nas residências para a manutenção do sono e do bem-estar das pessoas.

Na terceira parte do especial, o tema é o olfato, e trata de como os cheiros são fundamentais para criação dos ambientes das residências, que vão desde o bolo saindo do forno, o arranjo de folhas e flores sobre a mesa, o chá de capim-cidreira, o couro do sofá, ou até a aromaterapia, elementos que favorecem a atmosfera de aconchego. Em contrapartida, a falta de manutenção nos aspiradores de pó, equipamentos de ar-condicionado e encanamentos podem criar desconfortos olfativos aos moradores.
Para encerrar o especial em grande estilo, a última seção trata do tato, ligado ao maior órgão do nosso corpo, a pele, que talvez seja o sentido mais suscetível a sensações sinestésicas a partir do contato com as texturas e materiais de revestimentos, peças de decoração e móveis.


Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

Publicado na edição 10.563 de 17 a 19 de março de 2021.