Começa o capitulo I do Governo Galvão

0
210

Montagem da equipe de trabalho e da base na Câmara de Vereadores foram os primeiros atos.

Pode-se dizer que a nova administração começou na manhã de quarta-feira (2), quando o prefeito Fernando Galvão (DEM) e o vice- prefeito Rômulo Camelini entraram na Prefeitura. Os dois resolveram juntos, acompanhados das esposas e dos membros do 1º escalão, subir cada um dos degraus da escadaria. Simbolicamente parece ser este o primeiro capítulo, de fato, do novo governo.
A solenidade de posse realizada na noite do dia 1º de janeiro na Câmara Municipal é a parte protocolar do processo democrático. Foram belos e emocionantes discursos, homenagens, entrega de flores e a participação dos maiores corais da cidade.
O governo começa, de fato, quando o prefeito toma posse de seu gabinete, atende assessores, conhece os problemas de cada setor e é obrigado a tomar decisões. Se isto fosse tão simples, teoricamente, bastaria votar em candidatos com formação em Administração de Empresa, principalmente naqueles com especialização em Gestão Pública. Porém, é preciso ir além das teorias aprendidas em salas de aula. É preciso ter criatividade política.
Neste primeiro momento, enxerga-se sinais dessa criatividade política no enxugamento da máquina administrativa para enfrentar o endividamento da Prefeitura. Isto demonstra para o contribuinte a disposição do prefeito em cortar na própria carne. E este gesto sai caro para Galvão porque alguns apoiadores ansiavam por emprego público.
Também é positiva a criação de super secretarias de governo que irão acumular funções. Os diretores serão responsáveis por mais de um departamento. A tática funcionará bem se forem compostas boas equipes de apoio para distribuir funções. É o conceito da gestão moderna.
Na Câmara Municipal, Galvão optou por chapa de consenso com vereadores eleitos por outras coligações. A jogada é arriscada, mas evitou o confronto que poderia rachar o Poder Legislativo. O teste virá, de fato, nas votações de projetos importantes.
Com o enxugamento de cargos, fusão de departamentos e chapa de consenso, o novo governo, apesar de formado por um prefeito sem experiência política, dá sinais de que ele aprende rápido. Vamos aguardar os próximos desafios.

 

Publicado na edição n° 9493, dos dias 3 e 4 de janeiro de 2013.