Contra as doenças, somente a solidariedade

0
224

Aumento dos casos de câncer e outras endemias deve ser acompanhado de amparo.

Guiada por comentário de integrante de uma ONG que apoia portadores de câncer, sobre a grande procura por ajuda, a Gazeta foi apurar a incidência da doença na cidade. Infelizmente, a descoberta foi extremamente negativa. Dobraram as notificações nos seis meses de 2013, na comparação com 2012.
De acordo com profissionais de saúde, existe um lado positivo, é que as pessoas passaram a tomar coragem de submeter-se a exames preventivos. Com esta tendência, são encontrados mais tumores em fase inicial, em condições de serem tratados via cirurgias, ou em tempo de submeter o paciente a tratamentos que em 90% das ocorrências, resultam em cura.
Porém, ainda continua existindo a timidez das mulheres quanto à exposição ao submeterem-se a exames de Papanicolau e de mama; e os homens permanecem paralisados pelo preconceito em submeter-se ao exame de próstata. O medo inverossímil de perder a masculinidade acaba invariavelmente em alcançar precocemente a moradia permanente no final da rua Campos Salles.
Por enquanto, a ciência não descobriu quais os fatores causadores do câncer. Existe uma coletânea de suposições que vão desde o excesso de alimentação industrializada, estresses, proximidade com produtos químicos e radioativos; à genética. Porém, enquanto não se transformam em conclusão e não surge a tão sonhada vacina, o caminho é procurar preventivamente o médico.
Para aquelas pessoas afetadas pelo câncer ou outra doença, devemos e podemos nos solidarizar. Inclusive se as endemias afetam os adversários. Como ainda não podemos prever o câncer, também não há como saber quem no futuro será afetado. A única saída é dar calor humano a quem enfrenta a brutalidade da quimioterapia e da radioterapia. E podemos cobrar dos governos mais investimentos em pesquisas. Se 10% do que é gasto em armamento fosse destinado aos cientistas, rapidamente descobriríamos a cura.

Publicado na edição nº 9579, dos dias 3, 4 e 5 de agosto de 2013.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorA dona da voz do Saaeb
Próximo artigoFato com foto!