Deste jeito, Bebedouro pode seguir adiante?

0
55

Verdadeiros líderes pensam na coletividade e não apenas em suas categorias.

Primeiro foi a briga entre Sindicato do Comércio Varejista e Sindicato dos Comerciários que emperrou a abertura das lojas e supermercados no feriado de 7 de setembro, causando além do prejuízo comercial, máculas para a imagem da cidade. Quando todos sonhavam que este episódio estaria superado, vem nova polêmica no horário de abertura dos estabelecimentos em dezembro.
Por causa desta cabo de guerra classista temos a inusitada situação de ver pela primeira vez, em muitos anos, ruas da região central decoradas, mas lojas de portas fechadas, porque os proprietários têm medo de escalar os funcionários para trabalhar, sob ameaça de multas trabalhistas.
Outra caso que deixa a cidade preocupada é a falta de mobilização do funcionalismo público estadual contra o fim do contrato do Iamspe em Bebedouro.
É bom recordar que a vinda do atendimento deste convênio estadual para a cidade, foi graças à liderança da sindicalista Bia Pimenta, saudosa dirigente da Apeoesp, incansável na busca de conquistas ou restabelecimento dos direitos, mesmo que os beneficiados fossem fora da sua categoria, a dos professores da esfera estadual.
Devido à falta de liderança, os servidores estaduais voltam à situação que enfrentavam antes da luta de Bia, terão que buscar tratamento fora de Bebedouro, um enorme retrocesso que poderia ter sido evitado.
Com todo o respeito às pessoas que estão à frente do Sindicato dos Comerciários, mas a hora é de refletir. É lógico que dá para defender os vencimentos dos comerciários, sem parar o comércio. O verdadeiro líder pensa sempre em toda a comunidade e o que pode fazer para melhorá-la.
Há uma semana, o mundo perdeu o maior exemplo de liderança, Nelson Mandela, que apesar de estar à frente dos oprimidos negros sul africanos e ter passado 27 anos na cadeia, no auge de seu vigor produtivo, foi liberado e eleito presidente, sem nunca pensar em vingança nem tampouco só em sua etnia, lutou pelo bem geral do país.
E o melhor exemplo de Mandela foi ter exercido apenas um mandato, quando poderia ter sido reeleito facilmente. A verdadeira liderança não precisa de cargo.

 

Publicado na edição n°9634, dos dias 12 e 13 de dezembro.