Desde a última edição da Gazeta, na quarta (12), Bebedouro confirmou mais 340 casos positivos de Covid-19. Boletim epidemiológico divulgado na sexta-feira (14) mostra que, desde o início da pandemia, a cidade registrou 13.038 positivados, ante 12.698 do boletim divulgado na terça (11). Somente nas duas primeiras semanas de janeiro (1º a 14) foram registrados 736 novos casos, média de 52,5/dia, quase ultrapassando todo o mês de janeiro de 2021, com 795 resultados positivos nos 31 dias daquele mês.

A cidade confirmou mais de 100 casos por dia nos quatro últimos, sendo 112 na terça-feira (11), 114 na quarta-feira (12), 117 na quinta-feira (15) e 109 na sexta-feira (14).

A Gazeta fez levantamento dos casos mês a mês desde quando os primeiros casos diagnosticados em Bebedouro. Em março de 2020 foram quatro confirmados, passando para 23 em abril e 30 em maio. O pior mês de 2020 foi dezembro, com 532 positivados. Em 2021, abril confirmou 1.539 casos e maio, o pior mês, foram 3.420 diagnósticos positivos da doença. Em junho do ano passado foram 1.466 contaminados e o número caiu para apenas 25, em novembro e dezembro.

O Boletim de sexta-feira (14) mostra 36 pacientes aguardando resultados de exames e 354 positivados em monitoramento. O Hospital Estadual tem seis pacientes internados em leitos de enfermaria, representando 30% dos 20 leitos disponíveis e cinco pacientes em leitos de UTI (25% de 20 disponíveis). Na rede privada, seis pacientes estão em enfermaria (40% dos 15 leitos), e um paciente na UTI (10% dos 10 leitos disponíveis). O número de óbitos segue em 340, desde 4 de outubro.

Novas medidas

Para conter o avanço dos novos casos, o prefeito Lucas Seren, em live, na quinta-feira (13), anunciou medidas, como compra emergencial de testes de Covid para “que a testagem seja maior” e enfatiza: “Todo esforço da prefeitura tem sido no sentido de não precisarmos mais de grandes restrições, pois sabemos que nosso comércio não suportaria fechar novamente, mas é importante que cada um faça sua parte”.

Seren anunciou restrição para eventos privados: “Discutimos com toda a região, através do Codevar, a limitação de pessoas para eventos particulares de até 400 pessoas. Chegamos a este número para que o setor não pare de funcionar já que foi muito prejudicado ao longo da pandemia. Os eventos públicos estão suspensos. Acertamos em cancelar as festas de final de ano e, mesmo assim, os casos cresceram, por isto, o carnaval está suspenso”.

Outro anúncio foi da instalação do gripário a ser alocado no complexo do Hospital Municipal Júlia Pinto Caldeira, no espaço do Cerest, também conhecido como Clínica de Fisioterapia, “que provisoriamente vai funcionar na Casa de Conselhos”.

Em entrevista à Gazeta, o gestor técnico da UPA, Giovani de Carvalho Silva, disse que tudo está sendo preparado para o novo gripário começar a funcionar no sábado (15): “O atual será desativado por conta de o espaço ser pequeno devido ao aumento de casos, haverá sinalização para que as pessoas possam se encontrar  dentro do complexo hospitalar. Estamos organizando o local para começarmos os atendimentos”.

O prefeito Lucas Seren informou também sobre a contratação de profissionais para ajudar nos atendimentos. Silva confirma já estar fazendo as entrevistas: “Serão 47 novos profissionais e vamos seguir conversando com estes futuros funcionários durante o final de semana para que a maioria deles já comece trabalhar na segunda (17)”.

Para o gestor técnico, a equipe médica está pronta para atender a população: “Até conseguirmos finalizar todo o processo de contratação, nossa equipe estará preparada para atuar tanto na UPA, nas emergências, quanto no novo gripário”.

Boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica na sexta-feira (14) mostra cerca de 302 atendimentos/dia na UPA e 377, na rede privada.

Evento cancelado

A Gazeta recebeu informação de show que aconteceria no barracão de eventos do Recanto São Vicente de Paulo, com apresentação de grupo de pagode e dupla sertaneja. Em conversa com Paulo Ricardo Teixeira, um dos organizadores, foi confirmado o cancelamento do evento: “Esperávamos público estimado de 800 pessoas, como os casos de Covid estão aumentando e a restrição imposta pela prefeitura, em conversa com a organização, entendemos não ser o momento de realizar o show, nem com restrição de público. É um período delicado e temos que respeitar as vidas. Vamos esperar as coisas melhorarem e tentar remarcar para março ou abril, em caso de persistirem, vamos analisar a possibilidade de marcar mais para o meio do ano”.

 

Vacinação

A Vigilância Epidemiológica confirma a sequência de vacinação na cidade. No sábado, o vacimóvel estará no Jd. Alvorada e Jd. Califórnia, das 12h às 16h. No domingo (16), haverá vacinação na Feira Livre.

Na quinta-feira (13), o mutirão no ginásio de esportes da Feccib velha aplicou cerca de 300 doses, segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Thaís Teixeira: “É um número bom, as pessoas estão procurando mais pela vacina, relaciono esta alta procura pelo aumento de novos casos”.

Teixeira comemora o sucesso do vacimóvel: “Também estamos com êxito nas vacinas sendo feitas nos bairros, conseguimos aplicar mais de 300 doses por dia, e isto é muito bom”. A coordenadora afirma que o número de faltosos diminuiu, mas ainda é alto: “Temos cerca de dois mil faltosos da segunda dose e oito mil da dose de reforço”.

Sobre a vacinação infantil, Teixeira confirma que a cidade recebeu todo o material para iniciar as aplicações nas crianças: “Estamos aguardando as doses da Pfizer chegarem e organizando o local de vacinação. Assim que as vacinas chegarem, iniciaremos a campanha”.

De acordo com o vacinômetro, atualizado pelo governo do estado, às 12h de sexta-feira (14), Bebedouro aplicou 64.325 primeiras doses (82,94% da população); 62.745 segundas doses ou doses únicas, representando 80,90% da população. 22.638 bebedourenses tomaram a dose de reforço (29,19% da população), 1.347 pessoas tomaram esta dose entre quarta e sexta (12 a 14).

Taxa de transmissão

A Taxa de Transmissão (Rt) na regional de Barretos, a que Bebedouro pertence, segundo dados de sexta-feira (14), apresentados pelo Info Tracker/SP Covid-19 está em 1,19. A regional de Araraquara está com 1,47, seguida por Ribeirão Preto com 1,35 e São José do Rio Preto com 1,27. Franca, dentre as regionais acompanhadas pela Gazeta, tem a menor média, com 1,08.

Publicado na edição 10.636, de 15 a 18 de janeiro de 2022.