Em três meses, casos de Covid-19 recuam 64% em Bebedouro

Não há registros de mortes desde 4 de outubro. Os leitos de UTIs e enfermarias estão vazios na rede pública e privada.

0
160

A Gazeta fez análise comparativa dos casos positivos e mortes por Covid-19 em Bebedouro, nos últimos três meses. De acordo com dados de boletins divulgados pela Vigilância Epidemiológica, em setembro a cidade registrou 75 casos, caindo para 61 em outubro (-16,43%) e 27 em novembro (-55,73%).

O número de mortes também despencou. Em setembro foram registrados 10 óbitos, em outubro este número caiu para dois e, em novembro, nenhuma morte pro coronavírus foi registrada na cidade.

O boletim divulgado na terça-feira (30 de outubro), mostra leitos do Hospital Estadual e da rede privada vazios, sem pacientes em UTIs ou enfermarias, por Covid. São dois casos positivos em monitoramento e nenhum aguarda resultado de exame. Desde o início da pandemia, em março de 2020, Bebedouro registrou 12.273 casos e 340 mortes.

Taxa de transmissão

A regional de Barretos voltou a apresentar alta na taxa de transmissibilidade, medido pelo Info Tracker/SP Covid-19. O monitoramento de terça (30 de outubro), apontou Rt em 0,89, aumento de 2,29% em quatro dias. A última atualização da Gazeta sobre este dado foi em 26 de novembro e a regional a qual Bebedouro pertence marcava 0,87.

Nas regionais de saúde vizinhas, São José do Rio Preto também cresceu, passando de 0,93 para 0,96 (+3,22%). Franca caiu de 1,00 para 0,89 (-11%), Ribeirão Preto recuou de 0,95 para 0,92 (3,15%) e Araraquara diminuiu sua taxa em 11,11%, passando de 0,81 para 0,72.

Variantes

A variante Ômicron, também chamada B.1.1529 foi identificada na África do Sul, pelo sistema de vigilância das autoridades sanitárias do país, acarretando em fechamentos de fronteiras de diversos países com a África do Sul, incluindo o Brasil. O ministro chefe da Casa Civil anunciou na sexta (26), o fechamento de fronteiras, restringindo o desembarque de passageiros vindos de seis países do Sul da África: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Um homem vindo da África testou positivo para Covid-19 e estudo aponta tratar-se da nova cepa. A Gazeta questionou a Vigilância Epidemiológica sobre a situação de casos variantes em Bebedouro e a coordenadora Thaís Teixeira confirmou apenas quatro casos: “Tivemos a P1, identificada em Manaus, aquela considerada mais grave. Não existem registros de outras variantes em Bebedouro”.

Vacinação

A coordenadora Teixeira afirmou que Bebedouro passará a aplicar dose de reforço em pessoas vacinadas com dose única: “Já temos estas vacinas disponíveis e aqueles que tomaram a Janssen há mais de dois meses já podem procurar o polo de vacinação para tomar o reforço”.

O número de faltosos em Bebedouro ainda é grande, a coordenadora contabiliza 4.447 pessoas sem tomar a segunda dose e 3.643 bebedourenses que não voltaram para receber a dose adicional.

Com objetivo de diminuir estes números, haverá mutirão de vacinação no sábado, na rua do comércio e nos supermercados de grande fluxo da cidade. No domingo, o mutirão será na Feira Livre.

Sobre a vacinação na feira no domingo (28), Teixeira diz que 100 doses foram aplicadas: “Vamos continuar presentes nos lugares onde as pessoas vão, precisamos diminuir o número de faltosos e vacinar o máximo de pessoas possível, só assim vamos vencer, de vez, este vírus”.

O vacinômetro, atualizado pelo governo de São Paulo, às 12h de terça (30), mostra 63.807 bebedourenses com a primeira dose (82,27% da população). 60.635 pessoas já estão com as duas doses ou dose única (78,18%) e 9.131 pessoas tomaram a dose de reforço (11,77%).

Outras enfermidades

Dia D – Acontece na rua do comércio, na quarta-feira (1°) a campanha Fique Sabendo, com testagem de HIV, Hepatites Virais e Sífilis, das 9h às 14h: “Estaremos em frente a Casas Bahia e esperamos realizar cerca de 400 testes”, diz Teixeira.

A coordenadora alerta sobre a importância de realizar a testagem: “Percebemos aumento na procura por testes nas unidades de saúde e no nosso CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) e, por isto, esta campanha é primordial. Se as pessoas fazem os exames, podemos identificar precocemente possíveis casos e iniciar tratamento”.

Carreta do Câncer – 67 funcionários da área da saúde de Bebedouro receberam treinamento para a chegada da carreta do câncer, em janeiro. A reunião aconteceu na segunda-feira (29), com a finalidade de preparar os profissionais para atender os públicos alvos.

Em entrevista à Gazeta, a enfermeira e coordenadora da Atenção Básica, Lucinéia Braga, confirmou o período em que Bebedouro vai realizar os exames na população: “Entre 5 de janeiro e 29 de março. Vamos receber além da carreta, a van móvel que realiza exames de câncer de boca”.

Braga enumera que o Hospital de Amor realizará na cidade mais de 3 mil mamografias e 4.450 Papanicolaou: “Ainda vamos receber 800 exames de câncer colorretal e 850 exames de câncer de boca”.

Na procura pela van móvel, para exames de câncer de boca, a enfermeira avisa serem três públicos-alvo: “Homens e mulheres de qualquer idade com lesões suspeitas há mais de 15 dias, pessoas acima de 35 anos fumantes e etilistas e ex-fumantes há 20 anos”.

Publicado na edição 10.628, de 1º a 3 de novembro de 2021.