Estado bate o martelo e Fundação Pio XII assume Hospital Estadual de Bebedouro

Autorização para o convênio de R$ 6,4 milhões, aconteceu na segunda-feira (3), em São Paulo, com Henrique Prata e executiva estadual.

0
71
"Autorizo" – Henrique Prata e Fernando Galvão foram recebidos, em São Paulo, por Rodrigo Garcia e o secretário de Estado da Saúde Jean Gorinchteyn, para assinatura de convênio para abertura do Hospital Estadual de Bebedouro. (Divulgação/Governo de SP)

Para auxiliar no tratamento de pacientes com Covid-19, o governo estadual e a Fundação Pio XII assinaram o contrato de gestão para que a instituição assuma os leitos para o combate do novo coronavírus, nesta primeira etapa de abertura do Hospital Estadual de Bebedouro.

“Autorizo” – Fernando Galvão e Geninho Zuliani acompanharam a assinatura do convênio entre o governo estadual, representado por Rodrigo Garcia e Jean Gorinchteyn, e Henrique Prata. (Divulgação/Governo de SP)

A autorização com assinatura do convênio, que totaliza R$ 6,4 milhões, aconteceu na segunda-feira (3), em São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes, com a presença do vice-governador Rodrigo Garcia, do secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, do deputado federal (DEM/SP) Geninho Zuliani, Henrique Prata e o prefeito Fernando Galvão (DEM).
“É com alegria que assinamos este convênio, reforçando o atendimento a pacientes de Covid-19, no interior do Estado. O novo hospital é uma grande conquista para Bebedouro e região”, afirma Rodrigo Garcia, relembrando as idas e vindas do prefeito, em busca de melhorias na área da saúde. “O Fernando Galvão mostrou ao Estado, a importância de termos em Bebedouro um hospital estadual. A obra estava prevista para terminar apenas no final do ano. Antecipamos aquilo que foi possível diante da pandemia. E, a partir da próxima semana, já teremos leitos de UTI pública, os primeiros de Bebedouro, e também clínicos em funcionamento, para atender a população neste momento delicado. Depois, o hospital continuará com seus atendimentos, inclusive com cirurgias”, esclarece o vice-governador.
Com 20 leitos de UTI adulto e 30 de enfermaria clínica, o hospital ampliará a rede do Sistema Único de Saúde (SUS) da região, oferecendo atendimento de média e alta complexidade.
“Com este hospital de caráter regional, garantimos novos leitos para casos de internação de Covid-19, incluindo os pacientes graves que necessitarem de Terapia Intensiva”, ressalta o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, mencionando que foram adequadas as redes de gases medicinais e o espaço está equipado com leitos, respiradores e monitores. “O valor do convênio será repassado em três parcelas”.
O presidente da Fundação Pio XII, Henrique Prata, comemora a assinatura do contrato e assume o compromisso de gerenciar com amor. “Celebramos este momento, articulado pelo deputado federal Geninho Zuliani, para que tudo acontecesse na hora exata, pois os processos são lentos e burocráticos. Nos últimos dias, Fernando não me deixou dormir. Me ligava de madrugada, para que tudo pudesse funcionar perfeitamente. E, esta é a nossa missão. Temos muitos pacientes de Bebedouro que estão em Barretos e, que agora serão tratados em sua própria casa, o que me deixa feliz. Se Deus quiser, a partir de segunda-feira (10), os leitos já estarão em funcionamento”, avalia o gestor.
“Grande luta e uma vitória para o município e a região. Agradeço ao governador João Doria, em especial, ao vice Rodrigo Garcia, que nos recebeu para dar o ‘autorizo’ do convênio. Este hospital é uma luta antiga do prefeito Fernando Galvão, com o prazer de ter a gestão do Hospital de Amor pela qualidade, proximidade e experiência. Tenho certeza que Henrique Prata fará o melhor para a saúde bebedourense e da região. Nos próximos dias, a ala de atendimento ao Covid-19 estará em funcionamento e, até o final do ano, o hospital inteiro estará em funcionamento”, enfatiza o deputado federal Geninho Zuliani.
Para Galvão, o ‘autorizo’ para o contrato de gestão a Henrique Prata confirma os investimentos que já vêm ocorrendo e estruturando o hospital para melhor atender a população e que deve-se à expertise de Prata em gestão hospitalar.
“Primeiro, quem teria uma estrutura para atender um hospital daquele tamanho e de maneira tão rápida? Só uma pessoa com 20 hospitais nos país inteiro e a credibilidade que, Henrique Prata tem, sem contar a expertise para atuar em momento emergencial. O segundo motivo, o Hospital de Amor é referência na área de saúde. Quem imaginaria que Bebedouro teria um hospital estadual e com padrão de excelência do Hospital de Amor?”, enaltece o prefeito.
Segundo Galvão, a abertura de leitos emergenciais do Hospital Estadual de Bebedouro vem no momento delicado da pandemia, através da união de esforços. “Em parceria, o deputado Geninho Zuliani e o governo do Estado, anteciparam a entrega de parte do hospital, pois o seu funcionamento estava previsto apenas para o final do ano. Em um momento delicado, em que há muitos problemas de leitos, na região, em especial em Barretos, com risco de haver colapso no setor, Rodrigo Garcia, Geninho Zuliani e Henrique Prata foram muito sensíveis e entenderam que a hora é esta. Deus faz as coisas no momento certo, para salvar vidas”, afirma o prefeito.
Os leitos emergenciais funcionarão em parte da estrutura do Hospital Estadual de Bebedouro, cujas obras estão com 82% de execução finalizada e totalizam investimento de R$ 11 milhões, nesta segunda fase. Em pleno funcionamento, o hospital atenderá em torno de 500 mil pessoas, de 30 municípios da região.
A unidade terá 140 leitos, dos quais 20 serão de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) adulto, além de quatro salas cirúrgicas, um Centro de Diagnóstico para realização de exames de imagem e um berçário com 34 leitos. Ao todo, o centro médico atenderá 17 especialidades: clínica médica, pediatria, obstetrícia, anestesia, cardiologia, cirurgia geral, cirurgia pediátrica, cirurgia vascular, cirurgia buco-maxilofacial, ginecologia, gastroenterologia, urologia, ortopedia, neurologia, pneumologia, infectologia e radiologia. Os serviços serão distribuídos em seis pavimentos, incluindo anfiteatro.

 

Publicado na edição nº 10507, de 5 a 7 de agosto de 2020.