Estado quer retorno presencial das aulas em 2021

Na sexta-feira (18), o governo estadual recebeu mais dois milhões de doses prontas da CoronaVac.

0
52
Retorno gradual - Secretário Estadual de Educação, Rossieli Soares, apresenta o programa Volta Segura na Educação para o Estado. (Divulgação/Governo de SP)

A Secretaria Estadual de Educação anunciou, na quinta-feira (17), que manterá o retorno gradual às aulas presenciais para o ano letivo de 2021.
De acordo com o governador João Doria, “a decisão para manter escolas abertas é embasada em experiências internacionais e nacionais e tem como objetivo garantir a segurança dos alunos, dos professores e dos funcionários da rede pública e privada de ensino”.
O retorno ocorrerá de forma regionalizada, de acordo com os Departamentos Regionais da Saúde, obedecendo aos critérios de segurança estabelecidos pelo Centro de Contingência do Coronavírus.
“A escola não pode mais fechar. Neste momento de pandemia, as famílias precisam entender sobre o quanto é cada vez mais fundamental e importante ter os seus filhos frequentando a escola”, destacou o secretário Estadual de Educação, Rossieli Soares.
Caso uma área esteja nas fases vermelha ou laranja do Plano São Paulo, as escolas da educação básica, que atendem alunos da educação infantil até o ensino médio, poderão receber diariamente até 35% dos alunos matriculados. Na fase amarela, elas ficam autorizadas a atender até 70% dos estudantes; e na fase verde, até 100%. Os protocolos sanitários devem ser cumpridos em todas as fases.
Já as instituições de ensino superior poderão funcionar na fase amarela com até 35% das matrículas, e na fase verde, com até 70%. Nas etapas vermelha e laranja, elas não estão autorizadas a funcionar. Cursos superiores específicos da área médica têm o retorno presencial autorizado em todas as fases do Plano.
Na sexta-feira (18), o governo estadual recebeu mais de dois milhões de doses prontas da CoronaVac, sendo o terceiro lote do imunizante que chega a São Paulo. Com este recebimento, o Instituto Butantan completa 3,12 milhões de doses disponíveis para uso imediato, tão logo haja autorização da Anvisa.

 

Publicado na edição nº 10543, de 19 a 23 de dezembro de 2020.