Finalizando agosto, Bebedouro soma 844 casos e 29 mortes pela Covid-19

Curva de ascensão da doença na cidade mostra que porcentagem de aumento de infectados apresenta queda.

0
73

Bebedouro soma 844 pessoas infectadas com Covid-19, segundo boletim epidemiológico de sexta-feira (28), sendo 725 moradores de Bebedouro e 119 da região. Em comparação com os 779 casos registrados até terça-feira (25), o crescimento é de 65 infectados (8,34%). Dentre pacientes com diagnóstico positivo, 747 já estão recuperados, sendo 644 bebedourenses e 103 moradores dos municípios da microrregião. Há ainda 68 pacientes em isolamento: 52 de Bebedouro e 16 da região.
Desde 19 de agosto, os óbitos seguem em 29, sendo 13 vítimas registradas em hospitais de Bebedouro, incluindo Unimed, Hospital Municipal e Estadual, além de 16 pessoas falecidas em unidades de saúde de fora.
Há 12 bebedourenses internados em UTIs de Bebedouro (Unidade de Terapia Intensiva), entre Unimed e Hospital Estadual, e dois em Barretos, totalizando 14 internações graves. Há também apenas três infectados em enfermarias de Bebedouro.

Índice de isolamento
De acordo com o Simi-SP, do Governo de São Paulo, o índice de isolamento de Bebedouro, que estava em 50% na quarta (26), em 2º lugar no estado, na quinta-feira (27), foi para 49% e a cidade caiu para 3º lugar no ranking estadual.

Curva de casos
No fechamento deste mês de agosto, Bebedouro soma 844 casos confirmados da Covid-19 desde as primeiras contaminações registradas em março, a partir da segunda quinzena.
Em março, apenas dois casos foram confirmados em duas semanas, enquanto em abril, foram mais 24 infectados diagnosticados pela Vigilância Epidemiológica, representando 1.100% de aumento entre os meses. No terceiro mês de pandemia, foram mais 18 registros no mês, representando queda de 25% em relação ao mês anterior.
Já em junho, foram 82 novos contaminados, somando 126 casos positivos e aumento de 355,56%. Julho teve 300 casos no mês (+265,85%), totalizando 426 infectados pela Covid-19 na cidade, desde março. Já em agosto, foram 418 novos infectados (+39,33%), encerrando o mês em 844 diagnósticos positivos contabilizado na cidade desde o início da pandemia.
Os dados mostram que, apesar do número absoluto de casos ser alto, deve-se considerar a redução percentual de novos infectados a cada mês, incluindo nesse número, os pacientes já recuperados da doença, que representam 88,51% do total.

Reabertura de bares e restaurantes
Na noite de quinta-feira (27), os bares e restaurantes reabriram para atendimento presencial, como parte das flexibilizações descritas no decreto municipal, através da atualização do Plano São Paulo, que colocou a região de Barretos, incluindo Bebedouro, na fase amarela.
Para o setor, determina-se que a capacidade máxima de clientes é 40%. As mesas com até 4 clientes devem estar distribuídas com 2m de distância. No horário de almoço, das 11h às 14h30, os estabelecimentos podem atender diariamente, porém, à noite, só podem receber clientes das 18h às 22h, de quinta a domingo. Não há restrições para pedidos via delivery e drive-thru.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Rogério Valverde, através do GEI (Grupo Estratégico de Isolamento), forças de segurança como Polícia Militar e Guarda Civil, além dos fiscais do Departamento de Planejamento e a Vigilância Sanitária, os estabelecimentos estão sendo monitorados e não foram encontradas irregularidades.
“Graças a Deus estava tudo dentro dos conformes. As regras foram respeitadas e seguidas pelos estabelecimentos, o que mostra compromisso com a cidade e seus clientes. Vamos continuar a fiscalização nos próximos dias, para garantir que as medidas sejam seguidas e nenhuma vida seja colocada em risco por eventual irresponsabilidade dos estabelecimentos”, garante Valverde.
A Gazeta visitou três bares e restaurantes no primeiro dia de abertura e constatou que as medidas estão sendo seguidas por proprietários e gerentes dos estabelecimentos, com aferição de temperatura, oferta de álcool em gel e tapetes de sanitização. Também como obrigação apontada pelo decreto, os funcionários que manuseiam alimentos e bebidas, usavam máscaras e protetores faciais.
O respeito às regras também partiu da maioria dos clientes, com distanciamento e uso de máscaras ao levantarem-se das mesas. Um grupo de seis amigos foi flagrado pela redação da Gazeta pedindo para ocuparem uma única mesa, mesmo sabendo que o limite são quatro pessoas. Foram barrados pelos funcionários. Desgostosos com a orientação do bar, o grupo deixou o estabelecimento.

 

 

Publicado na edição nº 10514, de 29 de agosto a 1º de setembro de 2020.