Governo do Estado prevê fase menos restritiva a partir de junho

Bebedouro anuncia vacinação de 45 a 49 anos com deficiência e comorbidades, em dois dias, na próxima semana.

0
61
Continuidade – Governo de SP dá sequência ao Plano de Imunização, com a vacinação de pessoas de 40 a 44 anos portadoras de deficiências ou comorbidades, para a próxima sexta (28). (Divulgação/Governo de SP)

Em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, na quarta-feira (19), o governador João Doria anunciou a prorrogação da fase de transição do Plano São Paulo até 31 de maio. A previsão do Governo é que, a partir de 1º de junho, inicie-se uma nova fase, ainda não nomeada pelo Comitê de Contingência, com ampliação do horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais e aumento da testagem rápida em pessoas com sintomas do vírus.

De acordo com o governador, a nova fase permitirá ampliar o horário de funcionamento das atividades econômicas até às 22h, com 60% de ocupação de clientes em lojas, restaurantes e similares, shoppings e galerias, salões de beleza, academias, clubes e espaços culturais. Para permitir adaptação gradual dos estabelecimentos, a partir de segunda (24), a capacidade aumenta para 40% e salta para 60% na nova fase.

As novas medidas do Estado não são válidas para Bebedouro e cidades da microrregião, como Viradouro e Taiúva, que decretaram lockdown, enquanto esta medida estiver em vigor.

Segundo a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, o modelo da testagem rápida para sintomáticos nos municípios foi recomendado pelo Centro de Contingência: “hoje já temos disponível um novo modelo de teste antígeno, que permite maior controle da pandemia e que é fundamental, já que houve tantos atrasos no cronograma nacional de vacinação. Toda a frente de testagem e monitoramento da transmissão vai incluir esta estratégia de distribuição de testes rápidos para prefeituras”, disse Ellen, acrescentando que associações comerciais também podem tornar-se parceiros da iniciativa, adquirindo testes para seus associados.

Questionado por um dos jornalistas, durante a coletiva, sobre a possibilidade de flexibilizar medidas, enquanto regiões como Barretos possuem 100% dos leitos ocupados, o médico João Gabbardo afirmou que o Centro de Contingência faz projeções com base nos números semanais de evolução da pandemia: “Acreditamos que dentro das próximas quatro semanas, ainda possa haver aumento de casos e internações, conforme vimos em todos os países, de acordo com o avanço da vacinação, porém, nem mesmo este aumento se aproxima do pico da pandemia no estado. Nossa previsão é que após estas quatro semanas, os casos comecem a reduzir”, justificou Gabbardo, afirmando ainda que os municípios têm autonomia para determinar medidas mais rígidas, de acordo com a realidade de cada cidade.

Novas datas de vacinação

A vacinação contra a Covid-19 avança em Bebedouro na próxima semana para pessoas de 45 a 49 anos com deficiência permanente e comorbidades. Para evitar aglomerações, a imunização foi dividida em dois dias: na segunda-feira (24), vacinam-se os homens desta faixa etária; e na terça-feira (25), é a vez das mulheres receberem o imunizante na Feccib, das 8h às 11h. Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Thais Teixeira, “pessoas das faixas etárias anteriores, que por algum motivo ainda não se vacinaram com 1ª ou 2ª dose, devem procurar a sala de vacina, na Feccib, todos os dias, até às 15h”.

A Secretaria de Saúde reforça a necessidade de apresentar comprovante da condição de risco de comorbidade ou deficiência, por meio de exames laboratoriais e relatório médico. Os dados dos pacientes que já são atendidos nas unidades saúde podem ser utilizados para comprovação.

Na coletiva do Governo de São Paulo, na quarta (19), foi anunciado que, na próxima sexta-feira (28), devem receber a vacina pessoas de 40 a 44 anos com deficiência e comorbidades.

A projeção do Plano Estadual de Imunização é para que, em junho, todas as pessoas com deficiência e comorbidades, acima de 18 anos, sejam imunizados. Já para julho, está prevista a vacinação de dois grupos: “de 1º a 20 de julho, nossa meta é vacinar toda população com idade entre 55 e 59 anos, nas 645 cidades paulistas. De 21 a 31 de julho, devem se vacinar os profissionais de Educação de 18 a 46 anos”, afirmou Regiane de Paula, responsável pelo Plano.  Rossieli Soares, secretário de Educação destacou que a vacinação dos profissionais de Educação permitem “uma retomada segura” no 2º semestre.

Publicado na edição 10.580, de 22 a 25 de maio de 2021.