Governo Doria divulga Plano Estadual de Imunização

Campanha, prevista para ter início em 25 de janeiro, será coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde e implementada em parceria com as 645 prefeituras de São Paulo.

0
309

O governo estadual lançou, na segunda-feira (7), o Plano Estadual de Imunização contra o novo coronavírus. A campanha está prevista para ter início em 25 de janeiro, com prioridade para profissionais de saúde, grupos indígenas e quilombolas e também pessoas com 60 anos ou mais, faixa etária com maior índice de letalidade por Covid-19 (77%)
A previsão é que nove milhões de pessoas sejam imunizadas nesta primeira etapa, com a aplicação de 18 milhões de doses.

(Divulgação/Governo de SP)

“A vacina será gratuita para todos no sistema público de saúde do Estado de São Paulo. Não estamos virando as costas para o Plano Nacional de Imunizações, mas precisamos ser mais ágeis e, por isso, estamos nos antecipando. Somos todos a favor da vida e de todas as vacinas”, afirmou o governador João Doria, mencionando que São Paulo disponibilizará quatro milhões de doses da vacina CoronaVac para outros estados.
A campanha será coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde e implementada em parceria com as 645 prefeituras de São Paulo, dobrando o total de postos de vacinação dos atuais 5,2 mil para até 10 mil locais.
“O governo do Estado irá propor aos municípios a adoção de normas especiais para vacinação em farmácias, quartéis da Polícia Militar, escolas, terminais de ônibus e postos volantes em sistema drive-thru. O objetivo é garantir a segurança da população e evitar aglomerações nos locais de imunização”, explicou a coordenadora de controle de doenças da Secretaria Estadual de Saúde, Regiane de Paula, ressaltando que as prefeituras terão autonomia para decidirem os horários para realização da campanha, desde que sigam as seguintes determinações: de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h, e sábados, domingos e feriados, das 7h às 17h.
O cronograma estipula cinco etapas de vacinação a partir do início da campanha, sendo que até o fim de março, o governo estadual estima que quase 20% dos 46 milhões de habitantes do Estado de São Paulo estejam imunizados com duas doses da CoronaVac.
Na coletiva de imprensa de segunda-feira (7), o secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que o Estado tem a quantidade necessária de insumos para garantir que o programa ocorra no prazo previsto.
“Iniciaremos a campanha vacinal em 25 de janeiro e temos, sim, os insumos, agulhas e seringas para vacinar este público. Desta maneira, não será necessário fazer aquisições, aguardo de licitações, porque já disponibilizamos em nosso estoque destes materiais”.
Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a vacina ainda está na terceira fase de teste, em que a eficácia precisa ser comprovada antes de ser liberada pela Anvisa. A previsão do governo de São Paulo é a de que os documentos sobre a Coronavac sejam entregues à Agência na próxima terça-feira (15).
“Estudos clínicos já demonstraram que 94,7% dos voluntários não tiveram evento adverso. Dos que apresentaram alguma reação, 99,7% relataram sintomas de baixa gravidade, como dor no local da injeção e dor de cabeça leve”, declarou o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

 

Publicado na edição nº 10540, de 9 a 11 de dezembro de 2020.