HM nega negligência em caso de óbito fetal

Grávida de 8 meses tinha gestação de risco, sofria de diabetes, hipertensão e ficou internada em Barretos mais de "5 dias.

0
632

De acordo com o Hospital Municipal Júlia Pinto Caldeira, a paciente que não teve seu nome divulgado deu entrada no Pronto Atendimento da Upa, na sexta-feira (13), onde segundo informações do Hospital, recebeu pronto atendimento, foi avaliada, examinada e orientada.

Ainda segundo a direção, por decisão da própria paciente, após receber a informação de que o bebê não estava mais vivo, a gestante teria optado em retornar para casa para comunicar os familiares.

No início da manhã seguinte, sábado (7), a paciente já com dores, retornou ao HM, onde aguardou a chegada do ginecologista que acompanhou todo pré-natal no ambulatório de gestação de risco e realizou os procedimentos necessários para retirada do bebê.

A paciente deve receber alta nos próximos dias.

(…)

Leia mais na edição nº 10190, de 17 e 18 de outubro de 2017.