Inter empata com Matonense. Destaque vai para goleiro

Lobo volta a campo contra o Fernandópolis na quarta-feira (1º de setembro), tentado ficar entre os três times classificados para a próxima fase.

0
43
Comemoração – Aos 7 minutos do 2º tempo, Adyson marca o gol de empate da Inter contra a Matonense, que terminou em 1x1. Lobo mantem-se na 4ª colocação. (Reprodução FPF)

Em partida realizada na manhã de domingo (29), às 10h, no estádio Sócrates Stamato, a Inter empatou com a Matonense em 1×1, em jogo válido pela 3ª rodada da Segunda Divisão do Campeonato Paulista, a Segundona. As duas equipes, caso vencessem, tinham chance de estar entre os primeiros colocados da tabela, porém, o empate os afastou da liderança.

Assim como na partida anterior do Lobo, contra o América, o primeiro gol foi marcado no primeiro minuto de jogo pela Matonense. Segundo o presidente do Conselho Deliberativo, Luís Cláudio Mariano, nos primeiros 30 minutos, o clube de Matão dominou a partida: “O Lobo sofreu muito no primeiro tempo. O time da Matonense tem bastante investimento e implantou jogo intenso nos primeiros 30 minutos. A Internacional estava, mais uma vez, com equipe remendada na defesa, por conta da Covid”, justifica.

“O gol no começo desestabiliza qualquer plano de jogo. Buscamos manter a mesma equipe que venceu o América, um time muito bem compactado, principalmente no meio-campo”, avalia Valmir Israel.

O destaque da 1ª etapa ficou com o goleiro Jefferson, que fez importantes defesas: Aos 6 minutos, o número 1 da Inter mandou para escanteio uma bola vinda de cabeçada, quando o meia Luizinho, da Matonense, apareceu livre na cara do gol. Aos 21 minutos, outra defesa em cobrança de falta de Lucas Morais. Aos 26 minutos, depois da intervenção do goleiro internacionalino, a bola sobrou dentro da pequena área para o lateral direito Iury, que acertou o travessão.

2º tempo

Se na 1ª etapa, os visitantes foram melhores, no 2º tempo, o Lobo, com as alterações feitas pelo técnico Valmir Israel, se saiu melhor e conquistou o empate aos 7 minutos, com gol de Adyson Júnior. “Para o 2º tempo, no intervalo, a comissão técnica trocou peças pontuais e ‘mandou’ na maior parte do tempo, conseguindo igualar o jogo e com chance até de vencer”, conta Mariano.

“No intervalo os problemas foram identificados e fizemos mudanças. O lateral João Cléber, que tem características de marcação, foi substituído. Adiantei o meio-campista Rafael e recuei João, para completar a marcação junto com Luís, que joga como volante. Com isso, nosso time se acertou e deu a resposta rapidamente, logo aos sete minutos. Precisamos também estancar a defesa para parar de sofrer gols. Em três partidas sofremos cinco gols, temos que trabalhar melhor o setor defensivo”, analisa o técnico.

Pela 4ª rodada, que acontece na próxima quarta-feira (1º de setembro), às 15h, a Inter joga novamente no Stamatão, recebendo o Fernandópolis. “Poderíamos ter vencido contra a Matonense, mas faltou eficiência por parte do ataque, no quesito finalização. Com isso, amargamos empate dentro de casa. Agora, é pensar na próxima partida contra o Fernandópolis e melhorar o psicológico para evitar gols no início”, afirma Israel.

“Esperamos que todos fiquem na torcida por um bom resultado contra o Fefecê. Estou gostando muito do que estou vendo. O time está respondendo às expectativas da comissão, apesar de falhar no início da partida, mas tem se recuperado bem. Contra a Matonense, enfrentou um grande time e mostrou que tem potencial para seguir na competição”, conclui Mariano.

Resultados da rodada

O Taquaritinga empatou em 0x0 com o Fernandópolis e segue na liderança do Grupo 1, com 7 pontos, seguido do Catanduva, com 6 pontos; que venceu o América de Rio Preto por 1×0. A Matonense ocupa o 3º lugar, com 5 pontos; o Lobo é o 4º colocado, com 4 pontos; o Fefecê é o 5º, com 2 pontos; e o América ocupa a lanterna da tabela, sem pontuar.

Problemas no América

Com três derrotas em três rodadas, o América demitiu o técnico Jorge Saran e dispensou outros quatro jogadores. Desde o início do torneio, foram apenas dois gols marcados e seis sofridos nas derrotas para Matonense, Inter e Catanduva, respectivamente.

O time de Rio Preto passa por turbulências nos bastidores. Após a derrota para a Inter, na última quarta-feira (25), o presidente do clube registrou boletim de ocorrência por suspeita de manipulação de resultado feita por apostadores.

Pela 4ª rodada, na quarta (1º), o Améria enfrenta o líder Taquaritinga sob comando interino de Antônio Lucas, em casa, no estádio Teixeirão.

Ex-jogador relembra “anos de ouro” do Lobo

Um dos principais nomes do elenco da Inter na década de 1970, Uilian Gamboni, o Fera, relembra seus “anos de ouro” vestindo a camisa do seu time do coração. Na década de 70, enquanto a seleção brasileira consagrava-se tricampeã do mundo, o Lobo reunia milhares de pessoas no estádio Arnoldo Bulle. No centro do campo estava Fera, junto de Pescador, Bauer e Mané, já falecidos.

“Anos de ouro” – Fera Gamboni, ex-jogador da década de 1970, relembra sua passagem pelo Lobo, vestindo a camisa de seu clube do coração.

O bebedourense que encerrou sua carreira em 1985, teve na Inter sua “mola propulsora” para conhecer novos clubes fora do estado e também do país, como Bangu, Vasco da Gama, Londrina e o Granada, da Espanha.

Publicado na edição 10.606 de 1º a 3 de setembro de 2021.