Justiça diminue pena de Italiano e absolve servidora em fraude em obras

Enquanto o ex-prefeito, seu diretor de obras Antônio Carlos Taparelli e empresário Eliezer Gonçalves da Silva tiveram penas diminuídas, a servidora Cristiane Lujan é absolvida.

0
39
Abandono – Visão interna da creche no Res. Pedro Paschoal inacabada e abandonada, quando o governo Italiano foi denunciado e condenado, em março de 2014. Sua pena foi agora, diminuída em 2ª instância.

Dois anos após a condenação do ex-prefeito João Batista Bianchini, do seu ex-diretor do Departamento Municipal de Obras, Antônio Carlos Taparelli Paulo, do empresário Eliezer Gonçalves da Silva, proprietário da Ddasa Engenharia, e da servidora pública de carreira Cristiane Maria Filgueiras Lujan, pelo desvio de verbas do erário municipal que ultrapassaram R$ 202 mil na construção do centro comunitário, que consistia na construção de creche, posto de saúde e escola, no Residencial Pedro Paschoal, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, retrocedeu as penas de agosto de 2019, pelo juiz da sentença, Senivaldo dos Reis Junior. A audiência, em formato online, ocorreu na terça-feira (17), após recursos impetrados pela defesa dos réus.

Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

Publicado na edição 10.603, de 21 a 24 de agosto de 2021