CASO COAF: Marcel apresenta-se em Bebedouro

0
276

Apontado como lobista no caso Coaf e foragido desde 19 de janeiro, Marcel Júlio chegou à delegacia seccional na tarde de quinta-feira (31).

Tenso - Marcel Júlio negou qualquer participação, tanto dele como de seu pai, em esquema fraudulento da Coaf.
Tenso – Marcel Júlio negou qualquer participação, tanto dele como de seu pai, em esquema fraudulento da Coaf.

Por volta das 16h, de quinta-feira (31 de março), Marcel Ferreira Júlio, apontado pela investigação como lobista, apresentou-se às autoridades. A movimentação foi intensa desde a manhã da quarta, em Bebedouro, onde estão concentradas as investigações. Policiais, promotores, delegados e investigados dividiam-se entre a Delegacia Seccional e o 1° Distrito Policial.

Informações davam conta que o ‘lobista’ foragido se apresentaria a partir de 10 h, o que só aconteceu às 16h, quando um carro estacionou e o deixou na porta da delegacia. Familiares o esperavam junto ao advogado, o desembargador aposentado Pedro Menin: “Estou me apresentando espontaneamente”, disse Marcel, em seu primeiro contato com os jornalistas.

Assediado pela imprensa, Marcel chegou usando boné, aparentando tranquilidade e alegando ser inocente. Completou sua rápida passagem afirmando que ele e seu pai (Leonel Júlio) não têm envolvimento algum com qualquer esquema fraudulento. Ressaltou nunca ter feito contratos com prefeituras.

A expectativa é que seu pai, o ex-deputado Leonel Júlio, detido em São Paulo e trazido a Bebedouro, na terça-feira (29), deixasse a delegacia ainda nesta quinta-feira, o que segundo informações extraoficiais, não aconteceu, sendo levado depois de depor, para mais uma noite na Cadeia Pública de Bebedouro. Já Marcel deve passar a noite em outra cadeia da região, a que tiver vaga, provavelmente em Pradópolis ou Santa Rosa do Viterbo.

O funcionário público do estado, Carlos Eduardo da Silva teve seu mandado de soltura expedido e deixou a delegacia na tarde de quinta, após ter prestado depoimento por dois dias.

Luiz Carlos da Silva Santos, conhecido como Português, foi liberado pelas autoridades também na tarde de quinta. O integrante da cooperativa teria dado início a seu depoimento na quarta-feira (30), tendo continuidade no dia seguinte. Segundo o delegado Seccional José Eduardo Vasconcelos, que não quis comentar o conteúdo do depoimento, em princípio, não existiriam mais motivos para manter o investigado detido, autorizando sua liberação. Português, que estava na Seccional, foi encaminhado ao Hospital Municipal para exame de corpo de delito e liberado em seguida.

2 soltos – Um dos investigados liberados pelas autoridades ainda na tarde de quinta, foi Luiz Carlos da Silva Santos, o Português.
2 soltos – Um dos investigados liberados pelas autoridades ainda na tarde de quinta, foi Luiz Carlos da Silva Santos, o Português.

Nelson Gonzaga de Oliveira, atualmente procurador do Estado e ex-corregedor-geral do Ministério, sendo coordenador do setor de competência originária do Estado, chegou também à cidade acompanhado do promotor Pedro Ferreira Leite Neto, na manhã de quinta-feira (31), para acompanhar os depoimentos. Rapidamente Oliveira conversou com a imprensa: “Não posso emitir juízo de valor ainda sobre o que já tive acesso. Existe todo interesse da Polícia e do Ministério Público na oitiva do Marcel. Houve um pedido do relator para que as diligências, em Bebedouro, de primeira instância, sejam acompanhadas pela Procuradoria Geral. Devemos ficar mais uns dias na cidade”.

Expectativa- Movimentação intensa e muita troca de informações entre autoridades e advogado, antes da chegada de Marcel Ferreira Julio à delegacia.
Expectativa – Movimentação intensa e muita troca de informações entre autoridades e advogado, antes da chegada de Marcel Ferreira Julio à delegacia.

Mais informações sobre a 2ª etapa da Operação Alba Branca acompanhe na edição impressa de sábado (2 de abril).