Morre aos 96 anos, Abel Bernardo

Morador há anos do Distrito de Andes, ele era muito querido e admirado pelos moradores.

0
67

Faleceu aos 96 anos, no domingo (4), em sua residência, Abel Bernardo. Era admirado e querido pelos moradores do Distrito de Andes, onde viveu com a esposa Patrocínia Gonçalves Bernardo, com quem foi casado há quase 70 anos.
Dono de uma “memória de elefante”, em maio de 2015, senhor Abel, juntamente com a esposa, recebeu a Gazeta para o Gente, recordando-se com detalhes da conquista do povoado, da construção da praça que os munícipes tanto amam. Ao longo da entrevista, ele enfatizou sua paixão pela natureza, pelos animais, por Andes, para a qual criou uma poesia.
Natural de Bebedouro, Abel Bernardo era viúvo e deixa os filhos: Vera Lúcia, Sonia Maria, Paulo Afonso (in memorian), Silvia Maria (in memorian) e Andréa Regina (in memorian). O corpo de senhor Abel foi velado em Taiúva e sepultado no Cemitério Municipal também daquela cidade, na manhã de segunda-feira (5), cidade natal de sua esposa.
A Gazeta se solidariza com os familiares.

 

Poesia para Andes
“Meus amigos, minha história eu vou revelar.
Eu nasci nesta vila pequena que quero tanto bem.
Aqui, criança brinquei, aqui cresci e moço fiquei.
Construí o meu lar e minha família, cheia de paz e amor.
Nós temos como nossa padroeira, a Mãe de nosso Senhor.
Minha vila querida que por ti sempre lutei.
O pouco que consegui é porque sempre te amei.
Ô meu Andes, ô minha vida, se um dia te deixar, muito triste vou embora e o meu coração fique a chorar”.

 

Publicado na edição de nº 10416, de 7, 8 e 9 de agosto de 2019.