Motoboys ganham linha de crédito e capacitação profissional

Programa será financiado com recursos de multas do Detran, oferecendo condições melhores e mais seguras de trabalho para a categoria.

0
27

Para incentivar a classe, os motoboys ganham linhas de crédito para compra de motocicletas e reforma das usadas, além da aquisição de equipamentos de segurança e Epis (Equipamentos de Proteção Individual).

O programa ‘Motofretista Seguro’, iniciativa do Detran/SP, oferece crédito, facilidades de financiamento e formação para profissionais desta categoria. O pacote também dá oportunidade de regularização da documentação necessária para o exercício mais seguro da profissão.
“O serviço de delivery no Estado de São Paulo sofreu, ao longo destes meses, crescimento extraordinário, com fortíssima adesão de novos usuários de motocicleta na qualidade de motofretista para prestar serviços de entrega, ajudando a população a ultrapassar este período tão crítico e duro da pandemia”, afirmou João Doria, em coletiva de imprensa, realizada na segunda-feira (21).
Segundo o diretor-presidente do Detran/SP, Ernesto Mascellani Neto, no decorrer da pandemia, houve aumento de motofretistas no setor informal devido ao desemprego em outros setores econômicos, para complemento de renda.
“O programa de capacitação será financiado com recursos de multas do Detran e o objetivo é, acima de tudo, oferecer condições melhores e mais seguras de trabalho para esta categoria”, ressaltou Mascellani Neto, mencionando que nesta primeira fase do programa, o investimento do departamento será de R$ 5 milhões.
Outra medida do Detran/SP visa adequar os motofretistas para exercício da atividade com regularização de documentos, cursos de formação e atualização, oportunidades de práticas de aperfeiçoamento e auxílio na obtenção de linhas especiais de crédito para troca de veículo ou compra de novos equipamentos de segurança.
Para ter acesso ao programa, os motofretistas precisam regularizar a situação da CNH e devem se inscrever no site www.motofretistaseguro.sp.gov.br, ingressando no curso de formação desenvolvido pelo Detran/SP. Também é preciso cumprir alguns requisitos, como idade mínima de 21 anos, ter CNH e exercer atividade remunerada.
Profissionais com a CNH regularizada podem ter acesso a crédito no Banco do Povo para aquisição de motos (R$ 8,1 mil) e equipamentos (R$ 3 mil), além de condições diferenciadas de financiamentos com empresas parceiras. Condutores que realizaram cursos de formação há mais de cinco anos podem contar com aulas de reciclagem.

Vacina para todos
Na segunda (21), João Doria declarou que, caso a Coronavac seja aprovada pela Anvisa, toda a população de São Paulo será imunizada até fevereiro de 2021.
“Meu dever é proteger os brasileiros de São Paulo. A eles, garanto que teremos a vacina, a Coronavac, para atender a totalidade da população de São Paulo já ao final deste ano e ao longo dos dois primeiros meses de 2021. Evidentemente, temos de finalizar esta terceira etapa de testagem no Butantã, e esperamos que tudo continue bem, como está acontecendo, e aí termos a aprovação final da Anvisa”, ressaltou o governador.
Segundo o secretário Estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, o país precisará de mais de um imunizante. “A relação que existe entre Butantã e Ministério da Saúde é de longa data, uma grande parte das vacinas contempladas no Programa Nacional de Vacinação são oriundas da fabricação do Butantã. E neste momento não seria diferente. Precisamos não só de uma vacina, mas de vacinas para imunizar todos os brasileiros, independentemente de onde estejam. Precisamos do Programa Nacional de Imunização porque, através do SUS, poderemos promover a distribuição gratuita dessa vacina”.
Nove mil voluntários, sendo todos profissionais da área da saúde, de diferentes cidades brasileiras participam da testagem da Coronavac. “Até o fim de setembro, todos terão tomado as duas doses da vacina. Em 15 de outubro, haverá a análise de eficácia”, completou Gorinchteyn.

 

Publicado na edição nº 10520, de 23 a 25 de setembro de 2020.