Número de mortes recua em sete dias, frente à semana anterior

Taxa de letalidade em Bebedouro é menor comparada às cidades da região. Na contramão, voltam a crescer os diagnósticos positivos.

0
118
(Fonte: Vigilância Epidemiológica de Bebedouro)

Desde o último boletim epidemiológico, referente aos dados de terça-feira (8), Bebedouro registrou apenas mais uma vítima fatal do vírus, até a atualização de sexta-feira (11), de mulher, 78, com diabetes e hipertensão, que faleceu no Hospital Municipal.

No acumulado de uma semana, de 3 a 10 de junho, 15 mortes foram registradas, o que representa recuo de 44,4%, em relação à semana anterior (de 26 de maio a 2 de junho). A média móvel dos últimos 14 dias é de três óbitos diários.

(Fonte: Vigilância Epidemiológica de Bebedouro)

Segundo levantamento da Gazeta, também com base nos boletins, a taxa de letalidade em Bebedouro, que analisa o percentual de óbitos dentre os contaminados, é de 2,53%. No comparativo com cidades da região, nota-se que este índice é inferior às demais: Ribeirão Preto (2,74%), Barretos (2,78%) e São José do Rio Preto (2,86%).

O número de pacientes positivados no município subiu para 9.725, sendo que 870 são moradores da microrregião. Há ainda 9.284 recuperados (8.429 de Bebedouro e 855 de fora), além de 194 pacientes positivados e monitorados pela Vigilância Epidemiológica, em Bebedouro e região, isolados em suas residências. Outras 57 aguardam resultado de exames e não constam no total de infectados.

Nesta semana, os diagnósticos positivos voltaram a crescer, com 761 novos registros, contra 570 na semana anterior (+33,5%). A média móvel das últimas duas semanas é de 95,07 infecções por dia.

Continua alto o percentual de internações na saúde pública e particular de Bebedouro e região. No Hospital Estadual, a ocupação de leitos de UTI segue em 100%, com 20 pacientes em estado grave; na Unimed, são 10 leitos ocupados (90,9%). Há ainda 13 no Hospital Municipal e 18 bebedourenses em UTIs de outros municípios, tanto em hospitais públicos, como em convênios.

Outros 55 pacientes estão internados em enfermarias da cidade: 17 no Hospital Municipal, 20 no Estadual e 18 na Unimed.

Hospital de Amor busca equipar novos leitos

No fim da tarde de terça-feira (8), Bebedouro comemorou duas importantes notícias para a saúde: a confirmação de 10 leitos para o Hospital Estadual, que haviam sido anunciados pelo prefeito Lucas Seren há meses; e recursos para a terceira e última etapa de construção da unidade, a serem utilizados no acabamento da obra e compra de mobiliário.

As conquistas foram firmadas pelo vice-governador Rodrigo Garcia, em reunião no Palácio dos Bandeirantes, junto do prefeito Seren, da prefeita de Barretos Paula Lemos e do gestor do Hospital de Amor e Fundação Pio XII, Henrique Prata, através do intermédio do assessor de Gabinete do vice-governador e ex-prefeito de Bebedouro, Fernando Galvão, e do deputado federal, Geninho Zuliani (DEM).

Em entrevista a Gazeta, Henrique Prata comemora: “a notícia dos leitos para Bebedouro está em conformidade com o acordo firmado com o Estado, através de esforços do prefeito e do ex-prefeito de Bebedouro, que conseguiram sensibilizar o Governo do Estado a autorizar o funcionamento de mais 10 leitos de UTI, devido à alta demanda de nossa região. Mais leitos, nesse momento, é um presente que veio do céu. Poderemos salvar mais vidas, que é nossa missão principal”.

A partir do compromisso firmado com o Governo Estadual, o gestor do Hospital de Amor garante assumir a responsabilidade de adquirir equipamentos para a instalação dos novos leitos. “A partir da autorização, nos resta equipá-los e colocá-los em funcionamento”, afirma Prata.

Preocupado com a demanda por estes equipamentos no mercado, o gestor diz: “vamos providenciar todos os equipamentos necessários, mas a dificuldade que encontramos, neste momento, é achar estes produtos à venda. Com a alta procura, alguns estão em falta, por isso, o prazo para que os leitos estejam aptos a receberem pacientes, depende desta oferta de mercado e da agilidade da entrega”.

Conclusão da construção do Hospital

Segundo Geninho Zuliani, R$ 16 milhões serão repassados pelo Estado para o início da terceira fase de construção do Hospital Estadual, para conclusão da obra. “São R$ 8 milhões ainda este e mais R$ 8 milhões em 2022, com previsão de entrega do prédio completo dentro de um ano. A licitação já foi aberta e as obras devem começar nos próximos meses. Ótima notícia para nossa região”, comemora o deputado.

Prata também aproveitou para celebrar o anúncio de conclusão das obras da unidade hospitalar: “Importante conquista, não só para Bebedouro, mas para a região. Tenho certeza que a cidade de Barretos também ficará muito feliz por Bebedouro poder acolher ainda mais pacientes de alta complexidade”.

Publicado na edição 10.585, de 12 a 15 de junho de 2021.