Pela primeira vez, Bebedouro reelege seu prefeito

0
170

Eleições só fortalecem a democracia e o eleitor deposita nas urnas, as esperanças de uma cidade melhor para todos. Desta vez, com a reeleição de Galvão, o eleitor fez seu julgamento, aprovando sua primeira gestão e votando pela continuidade.
Em 8 de outubro de 2012, em seu Editorial, a Gazeta elencou os principais desafios a serem enfrentados pelo prefeito eleito, que incluía desenvolvimento, oportunidades de emprego, serviços básicos como coleta de lixo, tratamento de esgoto, acesso melhor aos serviços de saúde e educação próspera, além da gestão da mobilidade com transporte público decente. Que Galvão se interessasse pelo zelo da cidade e suas vias, e que a região do lago voltasse a ser o cartão postal que o bebedourense tanto queria ver cuidado.
Houve evolução em vários destes quesitos apontados pela Gazeta, como necessidades prementes dos bebedourenses.
Agora, de 2017 a 2020, a eficácia precisa ser incrementada. Os bebedourenses ficaram mais exigentes, já que aqueles desafios primeiros foram sanados ou estão em vias de.
Reconhecer suas falhas, no primeiro mandato, é condição primária para prosseguir e continuar oferecendo sua vontade de acertar. O que apenas parecia no primeiro mandato, desaparece para dar lugar ao que de fato é. E Galvão convenceu por seus feitos, de que foi o que se esperava dele. Seus adversários nas urnas insistiram em dizer o contrário, fazendo uso de pesquisas falsas, mentiras ruidosas, mas sem nexo, cacofonia nas redes sociais, onde todos falavam e ninguém escutava. Mas, a lógica está em sua reeleição.
Há muito por fazer prefeito Fernando Galvão.
A Gazeta de Bebedouro lhe deseja pleno discernimento para levar a cabo sua missão e corresponder às expectativas dos bebedourenses, acima das divergências, sobretudo pelas convergências.
Deu-se a lógica. Ganhou o bom senso.

Publicado na edição nº 10043, de 3, 4 e 5 de outubro de 2016.