Pela segunda semana consecutiva, óbitos caem no Estado

Governo estadual suspende cobrança de tarifa para abertura de empresas pelo prazo de 60 dias.

0
68

Pela segunda semana consecutiva, o Estado de São Paulo registra queda no índice de óbitos por coronavírus. A redução foi de 9% em comparação com a semana anterior.
Na semana de 9 a 15 de agosto, o estado registrou o total de 1.764 mortes por Covid-19 (redução de 1%). Já entre os dias 16 e 22 de agosto, o número caiu para 1.612, indicando queda de 9% e 152 vítimas fatais a menos. Houve redução de óbitos por coronavírus em todas as regiões do estado de São Paulo, no mesmo período.

“Isso reforça o objetivo do Plano São Paulo em salvar vidas. Estamos nos mantendo por três semanas consecutivas com taxas de ocupação de UTI em até 60%. Houve queda de 7% nas internações em UTI no estado, 9% na capital e 3% no interior e litoral”, afirmou o secretário Estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, informando ainda que a taxa de ocupação em UTI é de 55,6% no Estado e de 53,7% na Grande São Paulo.
Novas empresas – O governo estadual anunciou, na segunda-feira (24), que o Estado de São Paulo, por meio da Junta Comercial, suspendeu a cobrança de tarifa para abertura de empresas, impulsionando o empreendedorismo e estimulando a economia, atenuando os impactos para geração de emprego e renda, prejudicados pela pandemia do coronavírus.
Segundo o governador João Doria, que retomou suas atividades, após o fim do isolamento social, por ter contraído a Covid-19, esta é um medida importante de incentivo aos pequenos e micro empresários paulistas.
Os novos negócios terão o benefício concedido por 60 dias, iniciado na terça-feira (25), após a publicação no Diário Oficial do Estado e segue até 23 de outubro. A suspensão da cobrança vale para empresas classificadas como Limitada (LTDA), Empresário Individual por Responsabilidade Limitada (EIRELI), Sociedade Anônima (S/A), Empresa pública, Empresário Individual (EI) e Sociedade Cooperativa.
A iniciativa do Estado é contribuir, principalmente, com as pessoas que mais sofreram o desemprego provocado pela pandemia, mas encontraram alternativas e se reinventaram no mercado, abrindo seus próprios negócios. As micro e pequenas empresas contribuem de forma decisiva para a geração de emprego e renda em São Paulo e vão gerar oportunidades para empreendimentos futuros.

Empreendedorismo – Segundo o presidente da Junta Comercial do Estado, Walter Ihoshi, a suspenção da cobrança de tarifa para abertura de empresas, estimula a economia nesta época difícil.
(Divulgação/Governo de SP)

 

Dados elaborados pela Junta Comercial apontam crescimento gradativo na abertura de empresas em São Paulo, mesmo durante a pandemia. A partir de maio, pequenas altas foram registradas, com mais 10.882 empresas naquele mês, e em junho o total subiu para 15.918.
Já em julho, houve recorde de abertura de empresas em São Paulo no ano, com 21.788 novos negócios. O número foi superior ao de fevereiro, que até então registrava a maior alta, com 18.042. Também superou as inscrições verificadas em julho de 2019, quando 20.187 empresas foram registradas.

 

Publicado na edição nº 10513, de 26 a 28 de agosto de 2020.