População conectada é ponto com a cidadania

0
223

Projeto de disponibilizar conexão gratuita à internet nos bairros vai atender muitos interesses.

Começa a ser planejada pela Prefeitura de Bebedouro, a instalação de pontos de conexão gratuita da internet. Um benefício que vai de encontro à realidade das maiores cidades.
Num mundo onde muitos usam e-mails, têm perfis ativos nas redes sociais e conversam através do Skype e outros comunicadores instantâneos é importante a inserção digital.
Há duas décadas, quando teve início a implantação da Internet no Brasil, a acessibilidade era direito para poucos. Condizente com o panorama do período quando havia fila para comprar linhas telefônicas, caríssimas, a disponibilidade era para privilegiados. Assim como também eram os computadores, pesados e caros, com difícil manuseio.
Passadas duas décadas, houve movimento pela democratização do uso da informática e da internet, graças aos avanços tecnológicos e barateamento de peças e equipamentos, quase todo mundo tem acesso a internet.
Porém, por causa dos baixos investimentos da única concessionária que monopoliza a oferta de acesso de banda larga por telefone, quem mora nos bairros mais novos e afastados, não têm este direito. Não dá para entender como a empresa não tem capacidade de atender se há grande demanda.
O governo municipal faz sua parte em iniciar o plano de oferta de pontos de acesso gratuito. Todos poderão navegar para abrir e-mails, entrar em redes sociais, pesquisar informações e assim incluir-se no mundo digital,adquirindo mais conhecimento.
Para dar conta do alto volume de tráfego, o servidor de internet da Prefeitura bloqueará tentativas de baixar filmes e outros arquivos pesados. Também não será permitido o uso da rede digital pública para pirataria.
O primeiro ponto escolhido de instalação do Wi-Fi é a rodoviária. Uma coincidência histórica, já que a história de Bebedouro começa como o lugar que bem recebia os boiadeiros viajantes, atrás de descanso, alimentação e informações sobre o sertão. Agora, as pessoas que chegam à cidade, mesmo as que estiverem simplesmente de passagem, terão receptividade, acolhida e conexão. O tempo não muda a vocação de uma cidade.

Publicado na edição nº 9603, dos dias 28, 29 e 30 de setembro de 2013.