Prefeito destaca situação preocupante da pandemia em Bebedouro

Com 3.841 infecções já confirmadas desde março de 2020, cidade tem média móvel de 38,28 casos por dia.

0
530

“A situação da pandemia em Bebedouro é tão preocupante, quanto no Estado e no país”, lamenta o prefeito Lucas Seren, em entrevista a Gazeta, em que analisa a postura do Governo de São Paulo no enfrentamento da pandemia e a situação da região, diante do aumento de contaminações.

De acordo com o prefeito, “há uma dinâmica quase natural, do movimento de circulação do vírus, que chegou a seu estágio crítico em decorrência, inclusive, das novas variantes, que são mais persistentes e agressivas até com os mais jovens, aumentando a lotação de UTI dos hospitais. Diante desta realidade, concordo com a posição do Governo de São Paulo, que não existe fórmula mágica ou alguém que tenha resposta definitiva para o problema da pandemia. A verdade é quando ‘o bicho pega’, todos optam pelo isolamento social e pela restrição, para reduzir a circulação de pessoas e, consequentemente, a circulação do vírus. Neste momento, é o melhor a ser feito, porque nossa prioridade é salvar vidas”, destaca Seren, acrescentando concordar com a regressão de todo o estado de São Paulo para a fase vermelha, com restrição de circulação, “porque enquanto a vacina não estiver disponível para todos, é preciso remediar o problema e a maneira adotada no mundo todo, como sendo a mais eficiente, é o isolamento”, continua.

Preocupado com a situação da região de Barretos, que inclui Bebedouro, o prefeito ressalta que a cidade desempenha papel na microrregião, atendendo as cidades menores: “ficamos vulneráveis, em termos de números, porque atendemos a região como um todo. Mas temos trabalhado junto ao Codevar, para criar ações conjuntas e resultados melhores para todos”, garante.

Seren conta que participou da reunião com o governador e mais de 600 prefeitos de municípios paulistas, e praticamente todos estão em situação difícil, mas apoiam a posição do Estado, que visa a redução da contaminação, abertura de vagas em leitos de UTI e ganho de fôlego para seguir adiante, até que a vacina esteja disponível para todos.

Para Bebedouro, o prefeito garante que há planos para aumentar o número de leitos no Hospital Estadual, mas o Estado tem encontrado entraves relacionados à falta de insumos e profissionais. “Se abrirmos hoje, 10 leitos de UTI, não encontraremos no mercado oxigênio para manter estes leitos. Esta é a dificuldade do país todo. Os estados têm recursos destinados para abertura de leitos, mas há falta de recurso humano e material, em especial, de oxigênio”, lamenta Seren, garantindo que o município e o Codevar continuam buscando pela abertura de novos leitos para a DRS-5.

Atualização de casos

Bebedouro tem 3.841 pessoas infectadas pela Covid-19 desde março de 2020, segundo boletim epidemiológico desta quinta-feira (4). Deste montante, 3.348 residem em Bebedouro e 493 moram em cidades da microrregião, mas foram diagnosticadas em hospitais locais.

O boletim aponta ainda que 3.698 pacientes já estão recuperados do vírus (3.213 de Bebedouro e 485 da região) e 56 pessoas estão infectadas, cumprindo isolamento domiciliar. Outros 74 bebedourenses estão sob suspeita da doença, aguardando resultados de exames laboratoriais.

Os óbitos em decorrência da Covid-19 subiram para 87, com morte na quarta-feira (3) de mulher, 90, com hipertensão e diabetes, que faleceu no Hospital Estadual.

A ocupação de leitos em Bebedouro, no Hospital Estadual, está em 100%, com 20 pacientes em estado grave. Já na Unimed, cinco dos 11 leitos estavam ocupados (45%). Há ainda quatro bebedourenses em UTIs de Barretos. As internações em enfermarias somam 27: 12 pessoas estão no Hospital Estadual, cinco no Municipal e 10 na Unimed. Todos estes ainda não constam do total de infectados.