Quando é preciso tornar-se uma guerreira

0
273

Para dar sequência à nossa série de homenagens às mulheres no mês em que se comemora o Dia Internacional de todas elas, mais uma entrevista especial. Guerreira, forte, otimista, independente, trabalhadora e muito determinada, a enfermeira Valdelice dos Santos, ama o que faz e o que faz, faz com amor. Criou sozinha três filhos e ressalta que fez questão de trabalhar muito, para que todos pudessem ter oportunidade de estudar, o que conseguiu. Ainda bem que não se satisfez apenas com eles. Após completar 48 anos, entrou na faculdade e após os 50, confessa durante a entrevista, que esta atitude marcou sua vida: “Foi a melhor coisa que eu poderia ter feito”.  Confira mas uma linda mulher.

(…)

Leia mais na edição nº 10108, de 25, 26 e 27 de março de 2017.