Região de Barretos está na fase amarela do Plano São Paulo

Pela primeira vez, não há regiões na fase vermelha e os 645 municípios paulistas podem flexibilizar reabertura com restrições.

0
247

Bebedouro está na fase amarela do Plano São Paulo de controle da pandemia e retomada gradual e consciente da economia. Pela primeira vez, não há regiões na fase vermelha e os 645 municípios paulistas podem flexibilizar a reabertura com restrições no atendimento presencial em comércio e serviços não essenciais.

Evitando o avanço – O vice-governador Rodrigo Garcia e o secretário Estadual de Educação, Rossieli Soares anunciam realização de inquérito sorológico na rede estadual de Educação para mensurar
a circulação do coronavírus. (Divulgação/Governo de SP)

 

“Naturalmente, há ainda restrições preventivas. Mas são bons sinais que indicam que a epidemia em São Paulo está em declínio e o estado começa a sair do platô. Estes bons sinais nos fortalecem no enfrentamento à pandemia, mas devem ser registrados com muita prudência, cautela e atenção”, declarou o vice-governador Rodrigo Garcia, em coletiva de imprensa, na sexta-feira (21), no Palácio dos Bandeirantes.
Na 11ª atualização do Plano São Paulo, em vigor desde o início de junho, houve cinco progressões para fases de menor restrição à atividade econômica e mobilidade social. As regiões de Franca e Registro, que estavam na etapa vermelha, avançaram para a laranja. Já as sub-regiões Norte e Oeste da Grande São Paulo e a região do Barretos passaram da etapa laranja para a amarela, a que Bebedouro pertence.
A reclassificação de sexta (21) deixa 88% dos 46 milhões de habitantes do Estado na fase amarela, que é a terceira numa escala de cinco etapas de isolamento social e restrições de atividades para prevenção e combate ao coronavírus. As regiões na etapa intermediária são: Grande São Paulo (capital e todas as cinco sub-regiões), Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Barretos, Bauru, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Sorocaba e Taubaté.
Com piora acima da média nas taxas de casos, internações e mortes de pacientes com coronavírus, as regiões de Marília e São João da Boa Vista regrediram da fase amarela para a laranja, juntando-se a Franca, Marília, Presidente Prudente, Registro, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto.
O governo do São Paulo prorrogou, mais uma vez, a quarentena no Estado até o dia 6 de setembro, recomendando que as pessoas permaneçam em casa, se puderem, principalmente idosos e portadores de doenças crônicas. O uso de máscaras em locais de acesso público e no transporte coletivo é obrigatório, em todos os 645 municípios.
Autorização – O Estado autorizou que todas as atividades permitidas na fase amarela do Plano São Paulo possam funcionar por oito horas diárias em estabelecimentos comerciais e de serviço. Até então, eram permitidas seis horas diárias.
A medida já está em vigor e é válida para shoppings, comércio, serviço, salões de beleza e barbearia, restaurantes e similares, academias, convenções e atividades culturais. Os empresários podem escolher se adotam jornada contínua ou fracionada, respeitando o limite de oito horas diárias.
O consumo local nos restaurantes e similares continua permitido apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos e 40% de capacidade. Não será permitido que os clientes fiquem em pé, para evitar aglomerações e o fechamento deve ocorrer até às 22h. Funcionários e clientes devem usar máscaras em todos os ambientes, tirando-as apenas no momento da refeição.
Inquérito sorológico – A Secretaria de Educação anunciou, na sexta-feira (21), a realização de inquérito sorológico na rede estadual de Educação para mensurar a circulação do coronavírus entre os integrantes da comunidade escolar do Estado de São Paulo.
“Este inquérito acompanha a estatística necessária para que a informação sobre a evolução da epidemia na rede, seja de alunos e de professores, e possa nos dar a clareza necessária para preparação da volta às aulas de mais de 3,5 milhões de estudantes e de 240 mil profissionais da área da educação”, afirmou Rodrigo Garcia.
O procedimento será organizado pelas Secretarias de Estado da Educação e da Saúde. Mais informações serão divulgadas na próxima semana.
A Secretaria Estadual de Saúde também anunciou que, na próxima semana, o Estado publica resolução para regulamentar a necessidade dos 645 municípios manifestarem-se sobre adesão ao plano de retomada de aulas presenciais sugerido.
A previsão é que as escolas possam reabrir opcionalmente para aulas de recuperação, a partir de 8 de setembro. Todavia, as prefeituras terão autonomia, embasadas pelos indicadores epidemiológicos de suas regiões e aval da vigilância sanitária, para acompanhar ou não o calendário. Os calendários abrangem tanto as escolas públicas, quanto as particulares.
O retorno oficial das aulas é previsto para 7 de outubro, o que só ocorrerá se 80% do estado estiver por 28 dias seguidos na fase amarela. A retomada será gradual e, na primeira etapa, vai atingir até 35% dos alunos.
#HoraDoIntervalo – De segunda (24) a sexta-feira (28), os alunos da rede estadual podem participar da #HoraDoIntervalo, programação diferenciada transmitida pelo Centro de Mídias SP. Neste período, não haverá aulas inéditas nem reprises sobre o conteúdo da grade curricular.
Os estudantes terão acesso a oficinas para desenvolver competências socioemocionais, teatro, desenho, dança, jogos e outras atividades lúdicas.

 

Publicado na edição nº 10512, de 22 a 25 de agosto de 2020.