Região de Barretos permanece na fase mais restritiva do Plano São Paulo

Dados do governo estadual indicam que a DRS- 5, até quinta-feira (28 de janeiro), registrava ocupação média de 78,4% dos leitos de UTI.

0
50
Imunização - A coordenadora de Controle de Doença Infecciosas da Secretaria Estadual de Saúde, Regiane de Paula, esclarece dúvidas dos jornalistas referentes à vacinação contra o novo coronavírus. (Divulgação)

A região de Barretos, a qual Bebedouro está inserida, permanece na fase vermelha e mais restritiva do Plano São Paulo até domingo (7 de fevereiro). Nova classificação está prevista para na sexta-feira (5 de fevereiro).
De acordo com dados do governo estadual, esta regional, até quinta-feira (28 de janeiro) registrava ocupação média de 78,4% dos leitos de UTI (na semana passada a taxa era de 78,3%), permanecendo na fase vermelha, cuja margem de corte são 75% dos leitos ocupados. O número de novos casos por 100 mil habitantes nos últimos sete dias, passou de 436,9 para 410,3.
Na terça-feira (26), o secretário Estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, atendeu pedido do deputado federal, Geninho Zuliani (DEM), para expansão de mais 26 leitos de UTI para tratamento de pacientes com Covid-19, dos quais 16 serão credenciados por meio de convênio entre Estado e município e outros 10 por meio de novo convênio que será firmado com o Hospital Nossa Senhora de Barretos.
A reclassificação também determinou a regressão da região de Ribeirão Preto para a fase vermelha, com restrição total a comércio e serviços não essenciais. Já as regiões de Presidente Prudente e Sorocaba avançam para a laranja do Plano São Paulo, a partir de segunda-feira (1º de fevereiro).
Nos municípios das DRSs de Barretos, Bauru, Franca, Marília, Ribeirão Preto e Taubaté, as restrições da fase vermelha valem durante todos os dias, com ocupação hospitalar de pacientes graves com Covid-19 acima de 75%.
Com as regras anunciadas há uma semana, todos os 645 municípios paulistas ficam na fase vermelha em dias úteis, das 20h às 6h, e em período integral aos finais de semana e feriados estaduais ou nacionais.
A fase mais rígida só permite o funcionamento de setores essenciais como farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria. Demais comércio e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e entregas por telefone ou aplicativos.

Munícipios notificados
A Secretaria de Desenvolvimento Regional do Governo do Estado está notificando administrativamente as prefeituras que descumprem o Plano São Paulo, que em janeiro, já notificou 16 cidades: Agudos, Aparecida, Araçoiaba da Serra, Bauru, Cachoeira Paulista, Campinas, Guaratinguetá, Lins, Nova Odessa, Ourinhos, Piedade, Piratininga, Redenção da Serra, Roseira, São Sebastião e Taubaté.
“O Governo do Estado espera que os municípios respeitem o Plano São Paulo para conter o avanço de casos e mortes pelo coronavírus. O momento é delicado, conforme amplamente divulgado nos últimos dias. Salvar vidas depende da responsabilidade de todos os órgãos e agentes públicos. Não podemos aceitar desobediência à reclassificação, sobretudo em regiões que apresentam índices indiscutivelmente preocupantes”, afirmou o secretário Marco Vinholi, em coletiva de imprensa, na sexta-feira (29).
Casos de descumprimento noticiados pela imprensa também estão sendo notificados pelo Ministério Público: Araçariguama, Bauru, Laranjal Paulista, Piedade, Ourinhos, Sorocaba, Votorantim e Taubaté.

Novo lote de CoronoVac
O Instituto Butantan liberou, na sexta-feira (29), novo lote com 1,8 milhão de doses da vacina CoronaVac, para SP, completando cronograma estabelecido com o Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, que previa a entrega de 8,7 milhões de vacinas até domingo (31).
Deste total, aproximadamente 410 mil doses foram destinadas ao Centro de Distribuição e Logística da Secretaria da Saúde de São Paulo, seguindo critério de proporcionalidade e equidade do SUS.
“Todas as doses deste novo lote destinado ao Ministério da Saúde foram envasadas, rotuladas e embaladas no Butantan a partir de matéria-prima enviada da China, e passaram por rigorosa inspeção de controle de qualidade.”, explicou o diretor do Instituto, Dimas Covas.
Segundo Covas, para quarta-feira (3 de fevereiro), é esperada a entrega de nova remessa de 5,4 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) vindos da Sinovac, para envase no Butantan, permitindo a produção de mais 8,6 milhões de doses da vacina, aproximadamente. Outros 5.600 litros estão em fase avançada de liberação.

Publicado na edição 10.550 de 30 de janeiro a 2 de fevereiro de 2021.